www.abdic.org.br RETROSPECTIVA 2020 : PRINCIPAIS CRÔNICAS... Por : Pettersen Filho

BRASIL X EUA : “SALIVA OU PÓLVORA ?”

Objeto de cobiça internacional, parte do não-reconhecimento, até agora, da eventual vitória de Biden, nas recentes eleições norte-americanas, por Jair Bolsonaro, tendente esse último a impor possíveis barreiras ao Brasil em apologia as queimadas na Amazônia, é a própria Amazônia território vastíssimo, capaz de abrigar em sua superfície, perfilados lado a lado, países inteiros, tais como França, Espanha, Itália, Alemanha e Inglaterra, com direito a troco, além de sua enorme floresta, e rios, é também riquíssima em minerais, do alumínio, nióbio, tungstênio, até ao ouro, esses sim, os reais interesses de Biden, e europeus. http://www.abdic.org.br/index.php/2371-brasil-x-usa-saliva-ou-polvora  

Leia mais...

SOMENTE AOS COLIBRIS CABEM AS FLORES NO JARDIM... Por : Pettersen Filho

Não !

Ninguém poderia

sequer imaginar

que naquela manhã

nebulosa e escura iria nascer

uma flor no Jardim.

Não !

Ninguém poderia imaginar.

Não naquela manhã

nebulosa e escura.

Abandonadas as Ruas

fechadas as Casas

tudo era só tristeza...

Leia mais...

RESISTÊNCIA Por : Pettersen Filho

Veio a Tempestade

ventos velozes

chuva de granizo

E até Furacões...

mas a Velha Árvore

a tudo resistiu

firme e frondosa...

Veio o tempo de seca

o chão rachou

os rios minguaram

o calor foi intenso...

mas a Velha Árvore

a tudo resistiu

mostrando Flores no final.

Leia mais...

A PRAÇA DA LIBERDADE Por : Pettersen Filho

Há nas Praças os lugares permitidos e os lugares proibidos... Pessoas que fazem alguma coisa e Pessoas que não fazem nada... Vós, que fazeis na Praça ?

Havia na Praça

Uma Banda...

Na Praça os casais

se reuniam

A vida acontecia

e ninguém notava

de tão feliz

que todo mundo era...

Leia mais...

O MERCADO CENTRAL Por : Pettersen Filho

São cinco horas

Já começa o movimento

No Mercado Central

Falar demais pode ser

Um pecado fatal

 

Tem moleque roubando fruta

Na Quitanda da D. Mariana:

“Cuidado Seu Joaquim Português

Tão pondo a mão no seu pastel”

Leia mais...

SERRA DO CURRAL Por : Pettersen Filho

Lá na Serra

Havia um Curral

Não

Há mais.,,

Lá na Serra

Havia um Curral

Não

Há mais.

 

Lá na Serra

Havia um Curral

Não

Há mais.

Leia mais...

CIDADÃO Por : Pettersen Filho

É necessário, em nome da Modernidade e do Humanismo, desalojarmos do Espirito Público, inclusive, face a Reforma impositiva que se anuncia no Horizonte desde a queda indômita da bastilha, a aresta Autocrática do desmando e do Desatino.

Estes, que se manifestam através da falta de reciprocidade e da cruel burocracia, recobertos de perversidade e opressão, por entre os Birós e divisórias das Repartições Públicas, transformando o Cidadão Comum em simples numero de obituário, compreendidos esses escalões como uma minoria prevalente que se posta arrogantemente contra os Desvalidos e resignada frente aos Poderosos.

Leia mais...

MUTIRÃO Por : Pettersen Filho

Eu vi homens

construírem casas

                             moldarem massa

fazerem tijolos

                                  puxarem pá

                                                    de lá pra cá...  

 

Eu vi homens

                 construírem casas

buscarem terra

trazerem cimento

Leia mais...

PETTERSEN FILHO : O POETA Por : Prof. José Augusto Carvalho


“Como professor de português sou muitas vezes requisitado por meus alunos para dar parecer em suas criações literárias em prosa ou em verso, ou em ultima instância para fazer as correções necessárias. Acolho de bom grado a tarefa porque não existe obra de que não se possa aproveitar ao menos uma frase que valha o esforço da leitura. E também porque, como diria Guimarães Rosa, “um livro pode valer pelo que muito nele não deveria caber”.

Quando Antuérpio Pettersen Filho me entregou seu livro digitado Inconfidente mineiro, imaginei que ficaria extasiado diante do lirismo e da ternura de suas páginas, que chegam a lembrar as vezes Manoel de Barros pela delicadeza. O poema  “Edifício”, por exemplo, é uma amostra de singeleza do poeta: “Lá perto de casa / havia um terreno baldio.../ Nele a criançada / se divertia / Lá perto de casa / havia um terreno baldio / Nele construíram / um enorme edifício “

Leia mais...

GUERRILHEIRO Por : Pettersen Filho

Ah, meu irmão “palestino”... 
Ou combatente qualquer de todas as causas difíceis, ou qualquer causa perdida. 
Pudesse eu, como tu, ver-me acuado pelo inimigo, em um lugar incivilizado da Terra... 
Fitar-lhe a cara e discerni-lo em seu uniforme bem tratado e limpo sob a pontaria destemida do seu fuzil. Mas não.

Ah, meu irmão de todas as causas, ou qualquer uma impossível. 
Pudesse eu, como tu, ver-me cercado por metralhadoras, ter as ruas ocupadas por passos de ganso, as avenidas tomadas pelo exército invasor, violentada minha casa, vigorando a chantagem atômica. 
Pudesse eu, como tu, ver destruídos, da minha cidade, os edifícios. Ocupados por navios estrangeiros de guerra os portos. Ter violentada à ponta de baioneta a minha gente... 

Leia mais...

INCONFIDENTE MINEIRO Por : Pettersen Filho

Quando se fala de Minas Gerais, a primeira ideia que vem a mente de muitas pessoas é a imagem de uma Maria-Fumaça correndo pacificamente por entre vales e montanhas sinuosas, reportando a um passado de cidades históricas que hoje não existe mais...

Outros, mais introspectivos, lembram da boa gente mineira que matreiramente prefere guardar silêncio diante de quase tudo.

No entanto, não é exatamente essa Minas Gerais que tenciono aqui abordar.

A Minas Gerais de que trato é a Inconfidente, é a Renovadora, e ao mesmo tempo, é também, a Recatada e a Tradicional. A Minas Gerais de que trato é a que anseia Falar:

Leia mais...

COPACABANA Por : Pettersen Filho

Em Copacabana tem

Menina usando tanga, tem...

Em Copacabana tem

muita gente bacana, tem...

Em Copacabana

falta água, não...

em Copacabana tem

gente sofrendo também...

Em Copacabana tem

Polícia Metropolitana, tem...

Em Copacabana tem

muita grana, tem...

Em Copacabana falta beleza, não...

Leia mais...