OS POSTES

Por : Maria Lucia Victor Barbosa

No meu primeiro livro, O Voto da Pobreza e a Pobreza do Voto – A Ética da Malandragem, editado por Jorge Zahar, escrevi:

“É necessário que o candidato em seus discursos aborde problemas cotidianos e use uma retórica exaltada, eivada de ideologia cabocla de justiça social, pois é necessário ressaltar a diferença entre ricos e pobres e clamar por vingança contra os que no momento ou no passado não conseguiram satisfazer as aspirações populares”.

Leia mais...

ELEIÇÕES E COISAS SÉRIAS...

Por : Adriano Benayon

Os candidatos que se apresentam em oposição à atual presidente, com chances - tanto Marina, como Aécio – dizem-se defensores da  “liberalização” da economia brasileira.

Na verdade,  adotam ostensivamente o projeto pró-imperial, como  decorre não só de seus “programas”, mas também de suas trajetórias e de quem os financia; do apoio da grande mídia, instrumento  tradicional dos concentradores econômicos transnacionais e locais;   dos  formuladores de suas políticas econômicas, ligadíssimos à oligarquia financeira angloamericana.

Leia mais...

BATALHA CAMPAL : “... ALGUMA COISA ACONTECE NO MEU CORAÇÃO, SÓ QUANDO CRUZA A IPIRANGA E A AVENIDA SÃO JOÃO...”

Por : Pettersen Filho

Eternamente poetizado, o Cruzamento da Avenida São João com Ipiranga, bem no Centro Velho de São Paulo, na Musicalidade Genial de Caetano Veloso, feito em outrora, Época mais Romântica, em que a Poesia contrastava com o Asfalto, e “... a Força da grana que ergue e destrói Coisas Belas...”, a Capital Paulista, assistiu, estarrecida, na desocupação de um Velho Prédio, invadido pelos ditos Moradores Sem Teto, uma das várias “Agremiações” surgidas nos últimos tempos, ávidas a preencher o atual Vazio Político, deixado pelas Administrações Municipais, Estaduais e Federais, absolutamente incapazes de atenderem, além do mero Discurso, as prementes Demandas Sociais, transformou-se em uma verdadeira Batalha Campal, entre Polícia Militar, e os Manifestantes, no ato da desocupação do Prédio pela Justiça Paulista.

Leia mais...

A ESQUERDA SAZONAL E SUAS CEREJAS RETÓRICAS

Por : Celso Lungaretti

Finalmente alguém encontrou a melhor definição para o PT dos dias de hoje: esquerda sazonal.

Parabéns ao filósofo Vladimir Safatle! Ele conseguiu dar o tratamento adequado ao fenômeno que, talvez por conta da profunda decepção que causa nos que um dia compartilhamos o sonho e depois o vimos transformar-se em pesadelo, invariavelmente nos faz resvalar para as diatribes.

 O humor, contudo, convence mais do que o rancor, ainda que justificado.

Leia mais...

POSSIVEL DERROTA DE AÉCIO EM MINAS : “SERIA ESSE O FIM DO CORONELISMO ?”

Por : Pettersen Filho

Estado de Política tradicional, até, comezinha, nunca trouxe, das Urnas, grandes novidades, externadas na Consagração de Políticos Clássicos, já, reiteradamente, Governado por Políticos que beiram o Retrogrado, Magalhães Pinto e Francelino Pereira, dos tempos da Ditadura Militar, em grande parte, articulada no próprio Estado, a partir de Juiz de Fora, de onde partiu o desfecho do Golpe de 1964, passando por Políticos Tipo “Canastrão”, como o Pantomímico Ex-governador de Minas Gerais, Newton Cardoso, daqueles “Políticos” que assombraram, por muito tempo, como um todo, o próprio Brasil, enfim, “Dinossauros jurássicos da Política”, Fanfarrões, como Paulo Salím Maluf, José Sarney, Antônio Carlos Magalhães, alguns deles, se não, vencidos pela própria Morte, como é o caso do “Toninho Malvadeza”, alcunha atribuída ao Caudilho Baiano, Antônio Carlos Magalhães, quem sempre governou a Bahia como se fosse um Seu-latifúndio.

Leia mais...

PT : TORPEZA COM OBJETIVOS ELEITOREIROS?

 

Por : Celso Lungaretti

A notinha é do responsável interino pelo Painel Político da Folha de S. Paulo -aquele sujeito que fez grande alarde a respeito da intenção de Marina Silva de respeitar a anistia de 1979, enquanto omitia que Dilma Rousseff e Aécio Neves já tinham assumido publicamente a mesmíssima posição pusilânime-, não estando, portanto, imune a erros de informação ou por falta de isenção:

"Depois do pré-sal e da relação com os bancos, a próxima arma de Dilma Rousseff para minar Marina Silva será a política externa. O PT vai acusar a candidata do PSB de pôr o comércio brasileiro em risco ao defender que questões ambientais e de direitos humanos sejam levadas em conta nas negociações sobre comércio internacional. Segundo petistas, isso poderia afetar as vendas de empresas brasileiras para países como China e Rússia, grandes compradores de soja, carne e minério.

Leia mais...

EDUCAÇÃO COM QUALIDADE.

Por : Nei Alberto Pies

“Viemos ao mundo para dar nome às coisas: dessa forma nos tornamos senhores delas ou servos de quem as batizar antes de nós”. (Lya Luft, escritora)

Qualidade é um substantivo inerente ao ser humano e a seus afazeres. O ofício de educar, dentre outros, pressupõe qualidade. A qualidade é gerada na satisfação pela conquista de aprendizagens, protagonizadas por educadores e educandos. O prazer nas relações de ensino-aprendizagem está na construção do conhecimento como algo útil, agradável e capaz de desencadear alegria e realização. O educador é um dos maiores interessados em qualidade na educação; a escola carrega potenciais de sua satisfação, uma vez que o fracasso dos educandos também representa o seu próprio fracasso.

Leia mais...

DEMOCRACIA INTEGRAL

Por :  Kleber Galvêas

Votar é escolher, mas muitas vezes não há opção. Os partidos não exercitam internamente a democracia, têm "donos" egoístas que impedem a renovação. Apresentam sempre os mesmos candidatos.

 É vergonhoso o panorama político em minha terra: partidos sem ideologia, dirigentes sem identidade, políticos saltando de uma sigla para outra... Vivemos uma campanha eleitoral em que a maioria parece buscar um emprego; alguns candidatos são marionetes; outros, ungidos nos bastidores, encenam disputas com "opositores laranja"; espionagem e "rabos presos" determinam candidaturas e apoios.

Leia mais...

MARINA SILVA : “O CONTO DA CAROCHINHA DA DIREITA E DA ESQUERDA BRASILEIRA...”

Por : Pettersen Filho

Fenômeno, não exatamente novo, cuja tendência de Votação já se sobrevia nas ultimas Eleições, que levaram Dilma Roussef à sucessão de Luís Inácio Lula da Silva, prolongando a estada do PT – Partido dos Trabalhadores, no Poder, pelos últimos doze anos, Marina Silva recebeu, já naquela oportunidade, bem mais do que vinte  milhões de votos, apresentando um discurso, tal qual agora, mais eloquente, avantajado pelo natural desgaste do Partido dos Trabalhadores, diante da sua incapacidade de apresentar, nesse interregno, verdadeiras Reformas, Tributarias, Trabalhistas e Política.

Leia mais...

COMENTÁRIO GEOPOLÍTICO

Por : Gelio Fregapani

   Ainda antes da ascensão da Marina já se suspeitava de provável derrota do PT, sem dúvida merecida. Com seu esquerdismo infantil o PT afastava as elites pensantes e a oligarquia financeira internacional já decidira. Ela é muito forte, e dominando a imprensa, provocou um pessimismo exagerado com o qual nada funciona. A simples suspeita que a Dilma crie coragem e varra a corrupção assustou toda a classe política e que force a baixa dos juros assustou a oligarquia financeira. Ao não denunciar a portaria 169 da OIT afastou o apoio dos nacionalistas. Se não fosse o internacionalismo dos adversários teria merecido mesmo a derrota. Naturalmente, quando o navio vai afundar, os ratos se mandam.

Leia mais...

AS PERSPECTIVAS DEPOIS DO VENDAVAL

Por Celso Lungaretti

Engraçado, mesmo os mais prejudicados com o vazamento do que Paulo Roberto Costa teria declarado à Polícia Federal estão discutindo e rebatendo as informações imprecisas que a imprensa publica, ao invés de adotarem a única posição correta num caso desses: exigirem que as autoridades apurem as ilicitudes mediante as quais um depoimento resguardado por segredo de Justiça inundou o noticiário, negando-se a comentar acusações das quais nenhum deles tomou conhecimento por vias confiáveis (as possibilidades de manipulação saltam aos olhos!).

Leia mais...

DESCONSTRUÇÃO DE MARINA OU DESCONSTRUÇÃO DA POLÍTICA?

Por Celso Lungaretti

 É simplesmente deplorável que os petistas, começando por Dilma Rousseff, estejam desqualificando Marina Silva como o "Collor de saias". Nem mesmo a iminência da derrota justifica esta tentativa desesperada de enfiarem uma falácia, a marteladas, na cabeça dos cidadãos comuns.

Para começo de conversa, qual Collor? O que era o inimigo nº 1 do PT em 1989 ou aquele que é o aliado nº 1 do PT em 2014? O que trombeteou o adultério e filha ilegítima do Lula, ou o que o Lula depois perdoou em nome da politicalha? O que antigamente era de direita e incomodava o PT, ou o que hoje é de direita e o PT não dá a mínima para isto?

Leia mais...