A TOGA E A FARDA...

Por : Gustavo Bassini

 

Dia 1º de abril de 2014, completaremos (e se já passou, completamos) 50 anos do golpe militar de 1964. Sem sombra de dúvida, não há nada a se comemorar, exceto para os que acham que aquilo foi uma revolução. Começamos a respirar ares  de democracia nas Diretas Já e depois com a Constituição de 1988. Algum tempo depois viria o CNJ, uma das maiores conquistas da sociedade. Os juízes, em sua maioria, odiaram o CNJ e este ódio explícito e o maior e melhor selo de qualidade do órgão. Tentaram acabar com os poderes do CNJ em manobras jurídicas, mas felizmente não conseguiram. Esta frustração mesclada com angústia viria à tona. E veio.

Leia mais...

AS INTRINCÁVEIS MANIFESTAÇÕES DE RUA

Por : Valmir Fonseca Azevedo Pereira

 

No ano passado, escrevemos sobre os três Poderes que dominam a República Nacional. Recordando, colocamos o Foro de São Paulo no topo, depois o Chefe do Executivo, e em terceiro, o Partido do lulo - petismo. É provável que muita gente não acreditasse, contudo o dia - a - dia demonstra que a nossa conclusão é correta. Senão vejamos: o Executivo conduz a gestão do Estado aos trancos e barrancos, sem qualquer projeto de curto, médio, que dirá de longo prazo. Eventualmente, citam o PAC 1, o 2 e agora, o 3. Na verdade, arremedos de programas deploráveis quando sabemos que ao anunciar o PAC 3, que é mais uma embromação eleitoreira, uma rápida e superficial analise mostra que o 1 vai de mal a pior, e o PAC 2 pouca gente sabe de fato o que é.

Leia mais...

O QUE ACONTECE NA ARGENTINA E NA VENEZUELA...

Por : Francisco das Chagas Leite Filho

 

Na Venezuela, houve três mortos e 61 feridos. Também incendiaram e destroçaram estações do metrô, universidades, ministérios, praças, creches e postos de saúde. O quadro levou o presidente Nicolás Maduro a acusar “um golpe em marcha”. Na Argentina, a presidenta Cristina Kirchner viu-se sob um ataque para “levar o país pelos ares”. A manobra, segundo ela, tramada na Bolsa de Nova York, partiria da desestabilização da moeda, com o fim de elevar o dólar de 12 para 40 dólares, como trombeteou o ex-ministro das privatizações Domingos Cavallo.  A persistência de manifestações violentas nas ruas venezuelanas, que se sucedem diariamente desde 12 de fevereiro, sugerem um cenário sírio ou ucraniano, pronto a desencadear uma guerra civil naquele país de nossa fronteira norte. Da mesma forma, a sucessão de arremetidas sobre o atual governo argentino dá a impressão de colapso próximo.

Leia mais...

A OLIGARQUIA DESEJA A DEPRESSÃO...

Por : Adriano Benayon

É hora de abrir o olho. Estamos no Brasil e no Mundo em situação especialmente perigosa, de que há copiosas manifestações, cujas causas são sistematicamente ocultadas,  pois  os que estão por trás delas, querem operar despercebidos. As potências hegemônicas, suas associadas e satélites seguem em depressão econômica, com aspectos mais perversos que os da  iniciada em 1930 e que só terminou, em 1943, nos EUA - com a mobilização de dezenas de milhões de combatentes na Segunda Guerra Mundial, mais os vultosos investimentos para produzir armas. Na Europa e na Ásia, a depressão foi substituída pela devastação.

Leia mais...

EDUCAÇÃO : “FILHOS DE DESEMBARGADORES NÃO ESTUDAM EM ESCOLA PÚBLICA...”

Por : Pettersen Filho

 

Nacionalmente conhecido como “Esquema do Valerioduto”, ou “Mensalão Mineiro”, numa clara alusão à pratica de Compra de Apoio na Câmara dos Deputados pelo Primeiro Governo Lula, que acabou no famoso Processo, Ação Penal 470, que levou à Cadeia José Genuino, Delubio Soares, José Dirceu, e o próprio Marcos Valério, Publicitário, Agenciador da Propina, que se dava sob o “Disfarce” de Empréstimos fraudulentos e Contratação de Campanhas Publicitárias no Rádio e na Televisão, na verdade, Esquema que teve origem muito antes, no Governo do PSDB, envolvendo a Eleição do Governador Eduardo Azeredo, em Minas Gerais, depois copiado, em Brasilia/DF, pelo PT de Lula.

Leia mais...

CONCLAMAÇÃO AO NACIONALISMO

Por : Valmir Fonseca Azevedo Pereira 

 

A hierarquia e a disciplina são os pilares das Instituições Militares. Os parâmetros são inquestionáveis e baseiam - se no respeito aos superiores e na obediência às suas ordens. Portanto, os militares se submetem às normas da caserna no principio de que o superior hierárquico por seu nível de conhecimento e conduta ilibada está apto a comandá - los. Contudo, eventualmente, o superior pode não reunir as qualificações para o exercício de seu cargo. Felizmente, de alguma forma, por transferência do militar ou do seu superior, ou passagem para a Reserva, de um ou de outro, a incômoda situação é ultrapassada.

Leia mais...

A QUEM INTERESSA?

 

 

Por : Maria Lucia Victor Barbosa

Apesar do marketing ufanista para convencer eleitores incautos o governo Rousseff tem sido um retumbante fracasso. Na economia a herança maldita de Lula da Silva aparece claramente na fragilidade que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) detectou, apontando o Brasil como a segunda economia emergente mais vulnerável. Bem antes, porém, a economia já cambaleava e tal situação não se deveu apenas a crise mundial, mas a incompetência do governo petista, sobretudo, às mágicas ineficientes do Mr. M ou Senhor Mantega, referendadas pela governanta. E para resumir a fragilidade econômica do gigante Brasil vale a pena citar O Estado de S. Paulo (13/02/2014):

Leia mais...

... AGORA SEM VIRUS - LEI CAROLINA DICKMAN : “POLÍCIA CIVIL INVESTIGARÁ INVASÃO DE SITE..”

Por : Pettersen Filho

 

Invadida, dilacerada, corrompida, deturpada, estuprada, desde o ultimo dia 04/02/2014, sem que Ferramenta alguma na Internet, Autoridades incumbidas da área, ou, mesmo, o nosso habitual Provedor, sequer, obrassem conseguir normalizar a nossa Página, decorridos quase uma dezena de dias, finalmente, ”Ultima forma”, a Página da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Indivíduo e da Cidadania, na Internet, volta a operar, dessa vez, completamente livre de “Censura”, ou Hackeamento...

Leia mais...

VOLTA ÀS AULAS : MÃE TENTA NA JUSTIÇA VAGA EM ESCOLA PÚBLICA PARA O FILHO

 

Por ; Pettersen Filho

Cansada de bater de porta em porta nas Escolas de Ensino Médio da Rede Pública da Capital Mineira, em Belo Horizonte, à procura de Vaga para o seu Filho, GPF, Menor, sem obter sucesso, a Costureira, Divorciada,  Alexandra Forattini Carvalhais, após horas e horas de espera nas filas de diversas Unidades de Ensino, na Região da Pampulha, ingressou em Juízo contra o Secretário de Educação do Estado de Minas Gerais com Mandado de Segurança, a fim de obter, via Liminar Judicial à tão requerida Vaga.

Leia mais...

PORTUGAL : EMIGRAÇÃO EMPACOTADA EM PAPEL COUCHÉ

Por : António Justo

 

Da Força muscular à Energia cerebral- Colonialismo e Desenvolvimento: Ontem era a pobreza da terra e do interior que obrigava a emigrar. Hoje juntou-se-lhe a pobreza das cidades e dos Estados a testemunhar uma EU de política desigual. A emigração das periferias para os centros serve a exploração dos povos ricos sobre os pobres. No tempo em que as máquinas precisavam da força muscular, os países fortes importavam a força muscular humana, hoje que nos encontramos no tempo das tecnologias de ponta, importam as energias cerebrais humanas, sorvendo o pessoal formado à conta dos povos marginais.

Leia mais...

O DRAMA SOCIALISTA DA VENEZUELA

Por :  FRANCISCO VIANNA 

 

              A permanência do ‘acordo energético’ com Havana funciona como se a Venezuela fosse uma espécie de colônia cubana, uma vez que o país se encontra exatamente num estado de sujeição econômica a Cuba, que, todavia, também é ideológica e funcional.Tendo, praticamente, como sua única fonte expressiva de renda o petróleo, a Venezuela, que vê produção da PDVSA baixar continuamente a produção dessa mercadoria já de algum tempo até agora, não tem arrecadado o suficiente sequer para garantir o abastecimento de pão e de remédios, ao povo venezuelano – isso apenas citando esses dois produtos.

 

Leia mais...

É A ESTRUTURA... : “TAXA DE CÂMBIO DO REAL VALORIZADA PREJUDICA A INDUSTRIA...”

Por : Adriano Benayon

Economistas escrevem copiosos e longos artigos sobre o quanto a taxa de câmbio do real, valorizada, prejudica a indústria local e contribui para a crise das contas externas apontada pelo déficit recorde nas transações correntes (TCs) com o exterior em 2013: US$ 81,4 bilhões. Na realidade, é ainda maior, pois as contas foram contabilizadas como exportadas as plataformas de exploração de petróleo em atividade no País. Sem essa maquilagem, o déficit nas TCs  teria sido 10% maior.

Leia mais...