GESTO PROFÉTICO

 

Por :   João Baptista Herkenhoff

 

          Um trabalhador foi assassinado em Vitória/ES, fato que já não é notícia, nestes tempos de violência institucionalizada, que vitima principalmente as classes populares. Notícia de grande repercussão foi o que aconteceu depois. O homicídio do trabalhador ocorreu na Rodovia Serafim Derenzi, na altura do Bairro Conquista, na Grande São Pedro. O corpo do operário estava estendido na estrada. Justo naquele momento passava pelo local uma procissão que deveria terminar na igreja paroquial para que então fosse celebrada a Missa do Domingo de Ramos. Entretanto, o pároco local – Padre Kelder José Brandão Figueira, interrompendo a procissão, decidiu celebrar a Missa na estrada mesmo, ao lado do corpo, para solidarizar-se com a família do pedreiro e, ao mesmo tempo, denunciar a injustiça social causadora de um fato chocante como aquele.

Leia mais...

A ESTÓRIA DA CAROCHINHA SOBRE A QUEDA DOS EUA

Por : Francisco Vianna #

Quando li o documento sobre a “crise do capitalismo” publicado na semana passada pelo partido governante na Venezuela, não pude evitar em me perguntar se seus autores vivem neste planeta, ou se têm estado a ler as notícias nos últimos anos. O documento é tão disparatado que se deve inquirir se o problema da Venezuela é político ou psiquiátrico. Não há dúvidas de que o capitalismo é um sistema perfectível * e que se ajusta de forma constante para adquirir a capacidade de beneficiar um número cada vez maior de pessoas, principalmente as mais desprotegidas, desde que os governos não interfiram diretamente no processo.

Leia mais...

QUEM MATOU BERNARDO?

Por : Gustavo B. Schwartz

 

Sempre gostei de perguntas. E as perguntas são sempre inconvenientes. Elas desafiam o status quo. Elas desafiam a falsa estabilidade do que nos é ensinado como uma verdade conveniente. Toda verdade é inconveniente, e só se chega a ela através de perguntas inconvenientes. A morte do menino Bernardo, pelas pessoas que deveriam cuidar dele, noticiada no país estes dias não tem só dois assassinos. Tem vários. São respostas inconvenientes.  Em uma das reportagens que li, de forma cronológica, observa-se que o menino, de 11 anos, foi sozinho a um JUIZADO pedir socorro, ajuda, auxílio.

Leia mais...

SARAU ”POESIA COM TORRESMO” DE 03/05: CANCELADO...

 

Por : Pettersen Filho

 

Realizado com grande sucesso, em sua primeira versão, em Terras Alterosas, na Capital de Minas Gerais, no ultimo dia 05/04/2014, com segunda edição prevista para o primeiro Sábado de cada mês, o próximo a se realizar no dia 03/05/2012, o evento acaba de ser cancelado. Segundo o seu Promotor, o Poeta Pettersen Filho, o baixo numero de inscritos, e as desistências ocorridas, de última hora, em função do Feriado do dia 1º de Maio, Dia do Trabalho, oportunidade em que muitas pessoas viajam, fizeram com que o evento fosse adiado.

Leia mais...

O PÃO E CIRCO DA PETROBRÁS

Por : Cássio Guilherme

 

Neste mês de abril de 2014, em meio a outras avalanches de notícias sensacionalistas na Mídia Amestrada, temos o bombardeio sempre certeiro de denúncias contra a Petrobrás e suas falcatruas mirabolantes. Em que pese o valor nacionalista dessa suposta Estatal a serviço do povo, o que os apatetados e estúpidos telespectadores não conseguem ver é o circo armado para desviar o foco de outro assunto muito mais relevante para o povo brasileiro, e consequentemente para sua soberania imediatista: o investimento maciço no Pró-álcool e na pesquisa de energias renováveis e substituíveis. O povo estupidificado pela Mídia serpentária e argentária deveria estar nas ruas não para vociferar contra a ladroagem dos dirigentes da Petrobrás, mas para pedir o imediato retorno do Pró-álcool e da pesquisa de formas alternativas de Energia. Isso seria libertar-se dos grilhões da corrupção.

Leia mais...

DIA MUNDIAL DO LIVRO

 

Por :     João Baptista Herkenhoff

 

          Vinte e três de Abril, Dia Mundial do Livro. A data foi escolhida pela UNESCO para a efeméride porque assinala o falecimento de Miguel de Cervantes (em 1616) e de William Shakespeare (também em 1616). Mais que homenagear um escritor espanhol e um escritor inglês, a UNESCO na verdade exaltou dois escritores cujas obras transcendem em muito os limites geográficos nacionais. O livro guarda dentro de suas páginas um mistério: por que os livros, mesmo quando publicados em modestas edições, alcançam um universo imenso de leitores? Se compararmos o número de pessoas que se postam diante da televisão com o número de leitores que se debruçam diante dos livros, o resultado é obviamente desastroso para o veículo livro.

Leia mais...

FINANÇAS E (SUB)DESENVOLVIMENTO

Por : Adriano Benayon

 

A oligarquia financeira mundial saqueia o Brasil, inclusive através da dívida pública, inflada pela capitalização de juros absurdos, mesmo gerando,  com só eles, gastos inúteis da ordem de R$ 350 bilhões anuais. Assim, são sugados recursos tributários, que deixam de ser aplicados em investimentos produtivos, serviços públicos e infra-estrutura física e social. Para aumentar as verbas destinadas aos juros da dívida, os governos títeres têm confiscado  poupanças dos brasileiros, através de emendas constitucionais,  como a da DRU (desvinculação das receitas da União), que permite desviar, para o serviço da dívida, recursos da seguridade social. Em especial, os contribuintes do INSS - assalariados, autônomos e empresários -  têm sido espoliados  pelas  “reformas” da previdência  de FHC e Lula, aprovadas no Congresso por meios nada democráticos.

Leia mais...

TIRADENTES

 

Por : Celso Lungaretti

 

Quando menino, compartilhava o enfado de meus colegas de classe diante da obrigação de escrever, ano após ano, qualquer bobagem sobre o Mártir da Independência, mera repetição, com outras palavras, do que estava nos manuais escolares. De quebra, tínhamos de enfeitar esses trabalhos com bandeirinhas brasileiras que desenhávamos ou decalcomanias adquiridas nas papelarias; às vezes, fitinhas verde-amarelas. Mais brega e mais tedioso, impossível.

Leia mais...

QUADRAGESIMO ANIVERSÁRIO DA REVOLUÇÃO DOS CAPITÃES DE ABRIL... : REPENSAR A REVOLUÇÃO. RECRIAR PORTUGAL.

Por : António Justo

 

Comemoramos o quadragésimo aniversário da revolução dos capitães. No imaginário popular permanece a imagem de armas a dar à luz cravos. Quem foram os vencedores e os perdedores da nação? Numa data de ênfase de mitos e feitos da revolução, a sociedade precisaria de cabeça fresca para a avaliar e melhor entender a realidade em que se encontra e, a partir daí, melhor poder construir um Portugal moderno e mais justo para todos. Os revolucionários de Abril eram, de uma maneira geral, pessoas idealistas a quem faltava o sentido da complexidade da realidade nacional e internacional bem como a competência para avaliarem da dificuldade do empreendimento da descolonização e da democracia.

Leia mais...

TUDO PARECE PRONTO PARA A INVASÃO DEFINITIVA

 

Por : Francisco Vianna

 

Exército Russo se posiciona ao longo de fronteira da Ucrânia na medida em que as negociações chegam a um acordo assinado pelas partes. Moscou insiste em que a ameaça de Obama de impor mais sanções à Rússia é ‘inaceitável’ e diz que ‘reforços militares’ foram enviados para a fronteira. A agência de notícias France Presse informou hoje que a Rússia dispôs um grande contingente militar ao longo da fronteira norte e nordeste com a Ucrânia e advertiu que a invasão da ex-nação anexada pela antiga URSS está prestes a ocorrer.

Leia mais...

A ORAÇÃO TAMBÉM CURA...

Por : António Justo 

Sob as palavras da oração reside a força de uma dimensão específica da pessoa e da comunidade que também se expressa na cultura e nos templos de todas as cidades. Independentemente das formas dos muros, sob as sombras das igrejas, repousam forças, saberes e vivências reunidos em gestos e ritos que abrem horizontes para novas vivências e novas dimensões da realidade. Como em tudo, precisa-se de uma porta de entrada, um motivo, um centro, onde congregar as energias na procura de novas perspectivas. O mesmo se dá nas fórmulas das orações; o espírito para se congregar precisa de palavras, gestos e textos, como porta de entrada, para a dimensão mística das vivências. Precisa-se do interruptor da sintonia para estabelecer a ressonância com a onda divina. Na oração juntam-se sentimentos e experiências numa força abrangente que muda e expande o espaço interior e abraça todas as coisas.

Leia mais...

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO

 

Por : Valmir Fonseca Azevedo Pereira

 

Na medida em que os direitos humanos passaram a dominar a humanidade em detrimento dos deveres, os mais atilados e espertos, sejam os partidos políticos, sejam os melífluos parlamentares, abraçaram com fervor a tese corrente de que todos têm direitos. É verdade, todos temos direitos. Deveres, talvez. Na atualidade, portanto a máxima é sair do armário, seja você como for, deixe a vergonha de lado e assuma. O grau de liberalidade é tamanho, que seja como você é não esconda e brade ao mundo “eu sou assim”, e, lepidamente, com orgulho, exponha aos demais viventes, que você é assim ou assado, e que nada neste mundo poderá impedir ou discriminar as suas opções, mesmo que elas contrariem as leis do Criador e da natureza.  

Leia mais...