DELEGADO CLAUDIO GUERRA: “ MEMÓRIAS DE UMA GUERRA, QUASE, SUJA... ?”

Por : Pettersen Filho

Causou certo Estardalhaço , essa semana, o Lançamento do Livro “Memórias de Uma Guerra Suja”, escrito na “Primeira Pessoa”, conforme Material Publicitário que recebi em minha Caixa de Mensagens de E- mails , supostamente, partindo da Livraria da própria Folha de São Paulo , provavelmente interessada na Divulgação do Livro, e/ou da própria Editora, Topbooks, segundo se deduz, escrito pelo próprio Delegado Claudio Guerra , com participação dos Jornalistas/Escritores, Marcelo Netto e Rogério Medeiros :

 

 Cláudio Guerra, ex-delegado do Dops (Delegacia de Ordem Política e Social), confessa em "Memórias de uma Guerra Suja" o envolvimento com uma série de ações promovidas durante a ditadura militar (1964-85) com autorização do governo federal, incluindo a morte de ao menos 12 guerrilheiros”

Trás, ademais, o Material de Divulgação , junto com a Imagem da Capa do Livro, o seguinte texto:

 Segundo reportagem publicada pela Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (3), Guerra também afirma ter incinerado os corpos de dez desaparecidos políticos no forno de uma usina de açúcar pertencente à família de um ex-governador do Rio.

Entre as vítimas, ele cita David Capistrano, João Batista Rita, Joaquim Pires Cerveira, João Massena Mello, José Roman, Luiz Ignácio Maranhão Filho, Ana Rosa Kucinski e Wilson Silva, Joaquim Pires Cerveira, Eduardo Collier Filho e Fernando Augusto Santa Cruz Oliveira.

Baseado em depoimento a Marcelo Netto e Rogério Medeiros e narrado em primeira pessoa, "Memórias de uma Guerra Suja" levou três anos para ser concluído. Guerra, hoje com 71 anos, diz nunca ter torturado --sua função era matar e eliminar corpos.

O livro gerou indignação nos familiares dos envolvidos. As denúncias devem ser analisadas pela Comissão da Verdade.”

Livro que, ainda desconheço a Redação , elaborado, marcadamente, pelo Jornalista Rogério Medeiros , de que conheço parte do trabalho, a frente do Site “Século Diário”, combativo Jornal Eletrônico sediado no Espírito Santo , parece-me, veio bem a calhar, justamente quando se está na eminência de se instalar no Brasil a tal “Comissão da Verdade”, destinada a apurar Crimes do Período da Ditadura , embora, mais amplo, contudo, sabe-se, vocacionado ao Período que corresponde aos anos de 1964/1985.

Confesso que, tendo, também, pouco após a sua saída, na condição de Policial Civil , uma vez detido, passado pela Alpha Dez , Presídio em que o Delegado esteve recolhido por vários anos, não o conhecendo pessoalmente, a não ser por uma vez, quando, já solto, o vi no Fórum de Vitória , com semblante Candido, mais próximo de um “Papai Noel” do que um “Agente da Ditadura”, sei, contudo, que na sua trajetória pela Polícia Civil Capixaba , o recém inaugurado “Agente dos Militares”, parece-me ser esse, enfim, o Perfil que se quer conferir ao Delegado , foi, na verdade, Condenado e Encarcerado por Crimes Comuns , ligados a Homicídios, marcadamente, em face da disputa com o do Bicheiro Jonatam , que teve o Carro Explodido, e outros Delitos, também, todos, Comuns...

Enfim, parece-me que o tal Delegado , como uma “Fênix”, saído das “Cinzas” de um Degredo Forçado , condenado e encarcerado, sempre, por Crimes Comuns , pela Justiça Comum , em tempos da recém instituída “Comissão da Verdade”, ou da “Mentira”, como queiram chamá-la, com base em uma Biografia, disponível a todos, já, amplamente divulgada na Mídia, e na própria Folha, cuja Materialidade de difícil comprovação ( Corpos esquartejados, jogados na Lagoa da Pampulha, ou incinerados no Forno de uma Usina, há mais de vinte anos, atrás ),finalmente encontrou a Notoriedade que merecia, porquanto o próprio “Sistema”, de 64 (?), esses anos todos, enquanto esteve encarcerado, efetivamente, virou-lhe as costas.

Sem que teça, aqui, qualquer Pré-julgamento, não espero a hora de poder ler o tal Livro...

 

 

Crônica também Publicada em www.paralerepensar.com.br

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, ALÉM DE SÓCIO CORRESPONDENTE DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLOGIAS, POLÍTICAS E SOCIAIS DOM VASCO FERNANDES COUTINHO, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO



DEFESA DO CONSUMIDOR – CIDADANIA - PEQUENAS CAUSAS CIVEIS ???

“DIVULGUE NOSSO TRABALHO PARA QUE NÓS TAMBÉM DIVULGUEMOS VOCÊ”
REPASSE ESSE E-MAIL A UM AMIGO!