NOVE DE JULHO: “O DIA QUE SÃO PAULO PAROU...”

Por : Pettersen Filho

Quem transitou na Avenida Paulista nessa Segunda Feira, 09 de Julho, ou que, por acaso, tenha passado pela frente do Prédio da, outrora, toda poderosa FIESP – Federação das Industrias do Estado de São Paulo, numa alusão a época em que tal agremiação, antes do Fenômeno da Globalização e dos produtos “Made in China” colocava, e dispunha Ministros, no Brasil, poderia dar-se ao luxo de tirar uma soneca, em meio ao asfalto, sem o mínimo risco de ser atropelado, ao contrário de outros dias, já que nessa Segunda Feira comemorou-se a Data Cívica mais importante ao Estado: O Dia da Revolução Paulista de 09 de Julho, desencadeada em 1932 por São Paulo contra Getúlio Vargas, a pretexto de deslanchar a sua deposição.

 

No entanto, Getúlio Vargas, contra quem São Paulo levantou armas, morto ao  Dia Vinte e Quatro de Agosto de Mil Novecentos e Cinqüenta e Quatro , assim escrito, literalmente e por extenso, como, inclusive, se fazia nos velhos alfarrábios, e assentamentos, à “   bico-de-pena ”, antigos, tem tamanha Importância na   História Republicana do Brasil , que, proporcionalmente, muitos   Historiadores lhe atribuem, como “   Marco ”, valor maior que o próprio advento da   Inconfidência Mineira e o final enforcamento de Tiradentes , em 21 de Abril de 1791, no Rio de Janeiro, como precursores da   Soberania Nacional.

É que na tal data, aos Vinte e Quatro dias passados do Mês de Agosto do Ano de Mil Novecentos e Cinqüenta e Quatro de Jesus Cristo , morreu “   Suicidado ” o   Maior Homem Público que o   Brasil já teve:   Getúlio Dornelles Vargas.

Fruto de uma   História Anacrônica , que mistura, no mais das vezes,   Ficção e   Realidade , grande parte dela escrita por   Documentos Pró -   formes , lavrados pela   Chancelaria Oficial , distantes da realidade das ruas, tal qual o “   Grito de Independência ”, aos Sete de Setembro de Mil Oitocentos e Vinte e Dois, em que, “   Filho” rompia com “   Pai” (O   Imperador Pedro I “   versus ” o   Rei Dom João VI ), dividindo os despojos do   Império Português , sem que tal ruptura representasse, necessariamente, sequer, no disparo de um só tiro, a   História Tupiniquim , no entanto, está repleta de “   Gloriosas Mentiras ”, desde a tal “   Calmaria ” enfrentada por   Pedro Álvares Cabral , e o suposto “   Descobrimento ”, tal qual o foi a própria “   Proclamação da República ”, realizada pelo   Marechal Deodoro da Fonseca , contra o seu Amigo,   Pedro II , aos Quinze dias do Mês de Novembro de Mil Oitocentos e Oitenta e Nove, sem que necessário, mesmo, fosse que, desembainhasse da cintura o seu enferrujado sabre.

Assim ao longo dos anos, desde o   Brasil Colônia , vem tendo curso nossa   História , sem que nada de, realmente, novo, relativo às   Velhas Praticas Políticas , e a   Base Agrária ,   Rural Brasileira , Oligárquica, se modificasse no Brasil, passando.desde o   Império, e pela própria   República , até que, em 1930, fruto de uma   Revolução Popular ,   Getúlio Dornelles Vargas ascendesse ao   Poder , rompendo com a   Política do Café-com-Leite e do   Voto de Cabresto , até então praticado na chamada   Política dos Governadores : Minas/São Paulo, em que se resumia, na pratica, a Federação .

Como um dos seus primeiros atos, diante da “   Quebra ” da   Bolsa de Valores de Nova Iorque , em 1929, cujos reflexos se faziam sentir,   Getúlio foi logo ateando fogo nos estoques de café brasileiro, principal lastro das   Oligarquias da época, objetivando valorizar-lhe o preço, mas, desde logo, indispondo-se, terrivelmente, com os “   Barões do Café ”, quem deflagraram a   Contra-revolução Paulista de 1932 , conhecida como “ Constitucionalista ”, a fim de restaurarem a “   Velha Ordem Oligárquica ”.

Do embate armado,   Getúlio saiu vencedor, nomeando   Interventores nos   Estados , mas, ainda assim, promulgando a   Constituição Liberal de 1934, o que deu inicio a um dos períodos de maior crescimento econômico, e social do   Brasil , cujo projeto primou pelo   Nacionalismo , retirando o País das estruturas semi-feudais e agrícolas, que possuía, para a efetiva   Urbanização da sua   Sociedade e a conseqüente   Industrialização .

Consta dessa época 1930/45 e 1951/54, a criação.do   BNDE (S), da   CSN – Companhia Siderúrgica Nacional, da Vale do Rio Doce, da Petrobras, da   FNM - Fábrica Nacional de Motores, a abertura de estradas, a   Lei de Remessa de Lucros ao Estrangeiro , a   CLT – Consolidação da Legislação Trabalhista e os   Sindicatos ,   SENAI –Serviço Nacional de Aprendizagem dos Industriários, até hoje, passados mais de cinqüenta anos, desde que perdemos os “   Trilhos da História ”, espinhas dorsais do   Desenvolvimento brasileiro.

Getúlio Vargas , no entanto, como todo   Governo Reformista , não teve facilidades.

Depois de vencer a   Revolução (São Paulo)   Constitucionalista de 1932, já em 1935, deparou-se com a   Intentona Comunista , projeto no qual se queria implantar o   Comunismo no Brasil. (O Mundo estava, já, profundamente dividido entre o   Capitalismo Liberal Americano e o   Comunismo Soviético , formando fileiras para confrontarem-se, num futuro muito próximo, com os   Estados Nacionalistas da Alemanha e Itália –   Nazismo e Fascismo , todos firmemente instalados no Brasil, via   Integralismo , influenciando politicamente o   Governo )

Diante de tais pressões, vertendo, ora para um lado, ora para outro, sempre trazendo vantagens ao   Brasil , de ambos os lados, sem, necessariamente, vincular-se, mantendo-se eqüidistante,   Getúlio , ora fazia concessões ao   Nazismo (Enviou, num episódio questionável,   Olga Belizário , Esposa do Comunista Luis Carlos Prestes, à   Extradição para a   Alemanha Nazista , onde foi às Câmeras de Gás, como Judia}, ora aliava-se aos Americanos (Conseguiu, de forma inédita, ao simplesmente   Declarar Guerra ao   Eixo , em 1941, sem que enviasse um só soldado aos campos europeus, até então -   Tropas brasileiras somente desembarcaram na Itália, em finais de 44, quando a Guerra já estava, irremediavelmente, decidida -, algo inédito, o financiamento e repasse tecnológico á   CSN , diante das ameaças Americanas de ocupar Natal/RN, como de fato).

Já ao fim de 1937, diante das ameaças de “   Golpe” ,   Getúlio recrudesce, aplicando, em si mesmo, um   Auto -   golpe , a pretexto do   Comunismo , instalando no   Brasil um “   Governo de Exceção ”, o que lhe rendeu na História o   Título de “   Ditador ”, mas que, lhe permitiu realizar as   Reformas que retiraram o   Brasil do “   Status ”, muito depois da sua   Independência , de mera   Colônia Agrícola de Monocultura do Mundo , diversificando a sua Economia.

Com forte   Intervenção nos   Sindicatos (Peleguismo), nomeando interventores (Bem diferente do   Neo-peleguismo de Lula , onde os atuais Sindicatos , a   UNE – União Nacional dos Estudantes, a   CUT –Central Única dos Trabalhadores, o   MST – Movimento dos Sem Terra, e outros assemelhados, foram cooptados pelo   Governo Federal , e vivem às suas custas, via   FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador e   PRONAF - Fundo de Amparo à Agricultura Familiar),   Getúlio governou até 1945, quando uma   Junta de Generais , articulada pelos   Estados Unidos , desinteressada no   Protecionismo/Nacionalismo/Vargas , derrubou   Getúlio do   Poder , abrindo espaço para que nos dominassem as   Multinacionais .

Assim, e, ainda assim, depois de breve ausência, no arremedo da   Nova Constituição Democrática de 1947 , Vargas, seria eleito, através do voto, pela primeira vez,   Presidente da República , em 1950, voltando a governar pelas “   Mãos do Povo” , quem tanto amara, mas, ainda assim, diante das   Jogatinas e   Armações contra o seu “   Projeto Nacionalista ”, exacerbado, por episódio muito menor que os atuais “   Mensalões ” e “   Atos Secretos ”, no   Ardil da Rua Toneleros , em que um   Oficial da Aeronáutica foi alvejado a tiros, episódio que foi associado ao   Palácio do Catete , Sede do Governo Federal,   Getúlio foi levado ao “   Suicídio ”, quando teria dito, diante do   Golpe :

“   Estou velho demais para ser humilhado ”, sepultando, aos   Vinte e Quatro dias passados do Mês de Agosto do Ano de Mil Novecentos e Cinqüenta e Quatro de Jesus Cristo , a sua   História , e o próprio “   Sonho Brasil ”.

Sem se aperceber, contudo, junto com   Getúlio , sucumbiu toda uma   Nação , deixando para trás um   Legado, nunca mais igualado por   Estadista Algum , e um   País , terrivelmente   Órfão de   Ideário Político .

Na sua “   Carta Testamento ”, escrita no ato do seu captulamento, bem antes que a “   Sweet River Valley ” e a “   Piter-America-Bras-Company” , criadas por   Getúlio , se tornassem, apenas, mais um “   Bom Investimento ” na   Bolsa de Valores de Nova Iorque , e do inimaginável   Festival de Privatizações $A , quem transformou o “Cidadão   Brasileiro ”, apenas num   Índice Financeiro, ou numa “   Mera Estatística ”, desprovida de valores nacionais e amor próprio, nas   Bolsas Internacionais da   Coca-cola Company e da   Microsoft Enterprise , Getúlio   Dornelles   Vargas teria escrito:

“   O Povo de que fui Escravo, não será mais Escravo de Ninguém .   Serenamente, saio da Vida para entrar na História”

Será ???

Pelo sim, pelo não, é que penso que, afora o recente Campeonato das Libertadores, do Corinthians, por sobre o Boca Juniores, os Paulistas não tem muito o que comemorar....

 

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadã”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC.