“A HORA DA ONÇA BEBER ÀGUA” : ABDIC ENCERRA ATIVIDADES NO ESTADO...

Por : Pettersen Filho

Atuando por entre as Lacunas deixadas pelo Poder Judiciário no Estado do Espirito Santo, desde meados da década de 2000, quando foi fundada, exatamente para somar-se as atribuições do Poder Público, onde esse seja Omisso, ou não se interesse em atuar, a ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Indivíduo e da Cidadania, estatuariamente voltada a proposição de Ações junto aos Juizados Especiais de Pequenas Causas, notoriamente voltada à Defesa do Consumidor, escudada pela Lei 8.072/90 – Código de Defesa do Consumidor, e pela lei 9.099/95, que instituiu os Juizados Especiais de Pequenas Causas, que teve por Sede  um Modesto Escritório na Rua da Grécia, 195 – Barro Vermelho, na Capital Capixaba, acaba de perder a suas instalações, em razão da venda do Prédio onde estava localizada, motivando o fim das suas atividades no Estado, pelo menos, nos atendimentos presenciais.

 

Compatibilizando a intransigente Defesa que vinha fazendo dos Direitos Indisponíveis, justamente atribuições que são, prioritariamente do Ministério Público, por arrimo do artigo 127 da Constituição Brasileira, também atuando na Promoção da Cultura, realizando Sarais Poéticos, encaminhamento de Emprego e na Divulgação de Valores Nacionais, mister que vinha desempenhando Sem Finalidades Lucrativas, as vezes desagradando os Poderosos, e membros originários dos próprios poderes já anteriormente citados, a ABDIC, no entanto, alvo de incompreensões, nunca teve a sua vida facilitada, vivendo basicamente de contribuições a fundo perdido, ou doações dos seus próprios Gestores, tendo, até, certo orgulho de tal desengajamento, já que nunca teve a sua atuação atrelada ao Poder Público, a dita “Mão Branca” do Governo, desse ou daquele, de quem sempre guardou certa distância, e por quê não dizer, independência.

Cansada, contudo, de ver agigantar-se uma Pseudo-estrutura que sempre associou-se ao Estado, nos seus vários âmbitos de Poder, Judiciário, Legislativo e ao próprio Executivo, vimos nos últimos tempos verdadeiros Canceres instalarem-se de forma simbiótica a Estrutura de Governo, ao ponto de juizados Especiais funcionarem dentro de Faculdades, Empresas de Telefonia e outros, no mais das vezes, Institutos que lhes retiram a credibilidade, ou pelo menos, a isenção, lançando por terra nossa própria Iniciativa, ainda que Para-estatal.

Chegamos, em nosso Breve, mais Intenso, período de atividades, a ingressarmos com Ações Populares, Recursos e Expedientes diversos, quase todos eles, infelizmente, soçobrados na própria estrutura, e gênese de Estado, que diluiu lhes a Intensidade, o anularam nossos esforços, numa Luta desleal e assimétrica.

Assim sendo, incompreendidos por alguns, hostilizados por outros, finalmente, quedamos, informando aos nossos parcos Leitores, e sinceros Associados, que em face da falta de condições Físicas, e Políticas, de continuarmos nossos trabalhos no Estado, donde permaneceremos de forma virtual, com Textos e Manifestações na Internet, destarte os Processos ora em Curso, que por certo finalizaremos, anunciamos para breve a transferência da nossa Sede para outro Estado da Federação, onde, não nos enganamos, encontraremos também adversidades, e outras incompreensões, mas essas, esperamos, terão outros nomes, e nos serão novas, que não as atuais ferramentas, e caminhos viciados, no Estado que aprendemos a amar, e Servimos, sempre, Trabalhando e Confiando...

Até lá !

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.