WTC : “O ETERNO 11 DE SETEMBRO...”

Por : Pettersen filho

Desde que caiu o WTC – “World Trade Center”, popularmente conhecido como “ As Torres Gêmeas” de Nova Iorque – EUA, em 11 de setembro de 2001, até hoje, permanece o Marco   Zero   , local onde se encontravam, inabitado, perfazendo já mais de seis anos do evento, sem que, no entanto, os entulhos morais e éticos que geraram a catástrofe hajam sido removidos,   ou rescaldados, fazendo com que, ainda hoje, permaneça ar neblinoso sobre os fatos.

 

Colhidos de surpresa, como em   Pearl   Harbor   , no Havaí, pelos japoneses, quando todos os que estavam ambientados com a campanha americana da segunda guerra mundial no Pacifico Sul, sabiam que, fatalmente, a América entraria na guerra, para conter o avanço japonês na região e socorrer a Austrália, de menos os próprios americanos, a   Al   Qaeda,   de   Osana   Bin   Laden,   demonstrou aos americanos, em inesquecível lição de quatro atos, que os novos tempos trariam consigo um novo desafio, no qual as operações de guerra, antes patrocinadas e realizadas exclusivamente pelos Estados Nacionais, em face da nova, absoluta, hegemonia e arrogância americanas, perpetradas por toda a superfície do planeta, seria agora operada por entidades terroristas invisíveis e supranacionais, como o é a própria “   Base   ” Al Qaeda.

Demonstrando requintes de organização e intelectualidade, de fazerem inveja a própria   CIA   e ao   US Army   , com logística, intendência e periculosidade, até então, somente admitidos a superioridade racional dos homens ocidentais,   Osana   Bin,   e os seus discípulos, atingiram fulminantemente o cérebro da Nação americana, o próprio Pentágano   , o coração financeiro da América, representado pelo   WTC   , e por pouco não atingem a reserva moral do povo americano, simbolizado no ataque falho ao   Capitólio   , seio do Congresso estadunidense, fazendo-o com um neologismo teatral jamais dantes visto, e cujas versões nunca completamente dirimidas, que vão, desde a cumplicidade dos talibãs afegãos e do ditador Saddan Hussein, até a nova versão pitoresca de   Hugo   Chaves   , segundo a qual, a própria Casa  Branca   teria incentivado os ataques, no arremedo de obter autorização para as invasões, do Iraque e do Afeganistão, no Oriente Médio:

Primeiro Ato : Aproximadamente por volta das 09:05 hs AM de 11/09/01, no que inicialmente pareceu um simples acidente aéreo, um boeing repleto de passageiros choca-se com a Torre Norte, deixando perplexas as autoridades americanas.

Segundo Ato : Cerca de meia hora depois, por volta das 09:53 hs AM, um segundo boeing choca-se com a Torre Sul, pouco depois levando a ruína ambas as Torres, inclusive ceifando cerca de 3.000 vidas humanas.

Já, aquela altura, denotam as autoridades que não se trata mais de um mero acidente, mas de ato deliberado de ataque. Todos os voos passam a ser monitorados. Nenhuma nova decolagem é mais autorizada. As rotas já em voo são desviadas de Nova Iorque. Aviões de caça passam a proteger os pontos estratégicos dos EUA.

Terceiro Ato : Por volta das 10:15 hs AM um terceiro boeing atinge o Pentágono. Ordens são emitidas, aos caças, de que se abata qualquer avião, mesmo civil, que não atenda ordem de retorno ou que saia de sua rota comercial antes prevista.

Quarto e Ultimo Ato : Um quarto boeing dominado por terroristas voa por sobre a Pensilvânia, com destino ao Capitólio, sede do poder político americano. Neste instante, segundo as versões oficiais do Governo Americano, os bravos passageiros, embora contidos, reagem contra o seqüestro e levam, com sacrifício de suas próprias vidas, o avião para o espatifamento, junto ao solo, poupando, com o fervor do seu próprio sangue, e heróico ato, o Prédio do Capitólio.

Assim, acredite quem quiser, mas, no frigir dos ovos, inovadoramente, na História  Moderna Americana, pela primeira vez, ante a, aquela altura, inevitável ameaça ao Congresso Americano, os próprios americanos teriam aberto fogo militar contra outros civis americanos, fazendo com que, mesmo por linhas e raciocínio reflexo, inverso, ainda assim, pareça, mesmo frustrado o último alvo de ser atingido, que tenha   Osana   Bin   Laden   vencido...

Porquanto, ora estarrecidos na suspeita tranqüilidade de nossas poltronas, na sala de estar, munidos do controle de canais, apertado em nossas mãos, enquanto se ensaia em algum lugar desconhecido do mundo, num campo remoto da Argélia ou do Afeganistão Ocupado, um derradeiro   Quinto   Ato,   que, leve ao Epílogo a peça macabra da nossa vã existência no monopolizado Planeta, é, contudo, esta a verossímil hipótese a que chegamos:

O Quarto Avião, apesar de Hollywood e seus filmes de Ficção Ciêntifica, e  Patriotismo de Cinquenta Estrelas , a parte ,  teria sido abatido pelo " fogo amigo " dos próprios americanos, no afã de salvar o seu Congresso Nacional.

 

Crônica Publicada originalmente em  www.paralerepensar.com.br

NTUÉRPIO PETTERSEN FILHO É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO NEM DO ADVOGADO.