MÉDICOS CUBANOS : “ SAÚDE PÚBLICA X IDEOLOGIA...”

Por Pettersen Filho

Dono de precaríssimos Serviços Públicos de Saúde , embora Universalizados, pelo menos na teoria, cuja Sigla SUS – Sistema Único de Saúde , inspirado numa com partilhação entre os diferentes Entes da Federação, na sua proporcionalidade, em que os Estados Membros, Municípios e a União repartem custos, e responsabilidades, na sua efetivação, a triste realidade brasileira, no entanto, nos remete a verdade pratica de que, quem não dispõe de um Plano de Saúde Particular , que não dependa dos Serviços de Governo , já se pode considerar, de antemão, como um “Pé-na-Cova”, expressão Tupiniquim que se utiliza para referir-se aos que estão prestes a morrer.

 

Reflexo de uma Medicina cada vez mais Mercantilizada , em que o “Juramento de Hipócrates”, tido como o “Pai da Medicina”, é cada vez menos um Voto de Fé , no qual o Médico se propõe, ao abraçar a carreira, “salvar a todos, sem olhar a quem”, diferente do Engenheiro ou do Advogado, por mais que profissionais isentos, e necessários, compromisso pratico, algum, tem com a sua Profissão , totalmente adstritos a sua carga horária, sendo um daqueles personagens que, geralmente, com raríssimas exceções, trabalham as suas sagradas oito horas diárias, ao fecharem a Repartição, deixam o “Serviço” no Escaninho do Escritório , o Médico, diferente, no entanto, lida com a Vida e com a Morte , sem descanso, às vezes, levando tais ingredientes para as suas, prováveis, horas de descanso, em que o “Paciente”, vai pra casa com ele...

Longe, ademais do SUS, Sistema Único de Saúde , do Governo, que peca pela Corrupção , Desvio de Verbas, Superfaturamento, Ineficiência e Jogo de Empurra , em que a Medicina , muitas vezes aplicada nos Municípios, Unidade Geográfica e Política à que está “Organizado” o Estado Brasileiro , enfim, local onde realmente reside o Cidadão , consiste-se em cada Prefeitura , na parte que lhe cabe do SUS, adquirir uma “Simples Ambulância”, e, remover o “Individuo”, ou Paciente , como queiram chamar, de uma Cidade para a outra, em busca de internação, ao invés de organizarem, cada qual Município, eles mesmos, Postos de Saúde eficientes, ou, resolver, efetivamente, o Problema, na pratica, são os Hospitais Universitários , verdadeiros “Laboratórios de Ensaio”, de onde saem os Futuros Médicos, ou as Santas Casas de Misericórdia, ligadas, com igual fim, a Igreja Católica Romana, os que praticam alguma Assistência Médica no Pais, no âmbito das principais Capitais brasileiras, vem, com tal sorte de adversidades, tornando-se a Medicina uma Profissão cada vez mais difícil de se exercer no Brasil.

Divididos os brasileiros, ora, entre os que Podem, e Não-podem pagar, onde o Médico vem progressivamente deixando de ser um Profissional da Saúde, mas um acalanto para o “New Wave Brasileiro”, em que, no mais das vezes, somente os que podem pagar altíssimos custos na Formação podem sê-lo, para depois, quem sabe, montarem suas Clinicas de Luxo, ou Planos próprios de Saúde, com direito a Carrões e Mansões na Zona Sul da Cidade, em que a “Profissão” se tornou paradigma de Ascenção Social , totalmente distante do real fim a que se destina, “Salvar Vidas” a Saúde Pública no Brasil se torna um Serviço cada vez mais incerto...

Fato é que, atento a tais sintomas, de uma Saúde Pública cada vez mais Moribunda , como sempre, vem o Governo Federal tentando resolver seus “Problemas”, que, na verdade, são problemas do próprio Povo , em cima da Iniciativa Privada , fomentando a criação de Planos de Saúde Particulares, ora, dando Isenção Tributária parcial aos que os contratem, aliviando a Rede Pública , ora, intervindo, inescrupulosamente, na própria “Grade de Formação” de Médicos, à exemplo do mirabolante “Programa Mais Médicos”, em que pretende aumentar de seis, para oito anos, o tempo de Formação dos Novos Médicos, carreando-os para um inadequado tipo de “Serviço de Alistamento Militar”, no caso Civil , em que ficariam a disposição da Rede SUS, por cerca de dois anos, até a final diplomação, em que se nota, manobras cada vez mais desesperadas, são assumidas pela Administração Pública , a fim de levar Médicos para o Interior, e localidades remotas do País.

Dentre as “Novas Medidas”, destaca-se, a que Importa Médicos, sobre tudo, Cubanos, é a que mais tem causado polêmica.

Ilha localizada na América Central, mais especificamente, no Caribe, “Palco” de uma das mais exitosas Revoluções Sociais do Planeta, há mais de cinquenta anos objeto de Embargo Estadunidense , vista como o próprio “Diabo', pelos nossos Militares , durante muito tempo um “Tabu”, Palavra Proibida de ser dita, durante a Gloriosa Revolução Militar de 1964, local simplesmente inexistente para a grande maioria dos brasileiros, enquanto se espremem nas filas dos ônibus e maracanãs da vida, a fim de proverem sua parca existência, mas, inegavelmente, um absoluto sucesso, quanto a Promoção Social e “Exemplo Tropical” de um Bem Sucedido Comunismo, a vinda de cerca de quatro mil Médicos Cubanos, contratados pelo Governo, no entanto, tem se apresentado como a imediata solução para o Caos da Saúde Pública no Brasil.

Vistos por alguns setores sociais, mais à Direita, cada um deles, “Médicos Cubanos”, que chegaram esse fim de semana ao Brasil, como uma espécie de “Tchê Guevaras” em potencial, Herói da Revolução Cubana, também, Médico Argentino, enfim,, como um tipo de “Agentes da Revolução Cubana” no Brasil, verdadeiros “Espiões”, a espalhar o Comunismo no País, o assunto vem ganhando tom de dramacidade, tomado de puritanismo e preconceito, quando as Associações Médicas , Federação Brasileira Medicina, profundamente desautorizados, e o próprio Exército Brasileiro, vendo seus privilégios, e Ideologia Emporcalhada, ameaçados, valem-se de Normas Gerais, dos fortes Carteis instalados no setor, como seus aliados, a tentar difamar tal contingente de Médicos Estrangeiros, não por serem Portugueses, Espanhóis ou Argentinos, ou por serem Estrangeiros , em si, mas pelo simples fato de serem “Cubanos”

Medicina , mais propriamente, “Saúde”, que é o caso em discussão, passa, naturalmente, longe de tais questões:

Se farão, ou não farão, os Cubanos o tal “Revalida”, teste de admissão à Medicina , dos que vem de fora, se falam, ou não falam, o Português, tais Médicos , se receberão salários diretos, ou via Embaixada, deixam de ter importância.

O problema único, é o fato de serem Cubanos (Quase “Macacos”, vindos de uma ilha Proscrita, da qual os Brasileiros, em geral, não podem sequer saber da existência...).

Dai eu me lembro, anos atrás, na Década de Oitenta, quando Garimpeiros Brasileiros, chefiados pelo hoje Diretor da FADIVALE – Faculdade de Direito do Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, Altino Machado, personagem que conheci e reconheço a sua praticidade, ao ser perguntado por “Veja”, da Editora Abril, na qualidade de Presidente do Sindicato de Garimpeiros, na fronteira com a Venezuela, se não temia problemas com a Igreja , ao garimpar em área repleta de Índios , protegidos pelas Missões Catequizadoras, ou em Área Sensível, de Segurança Nacional, tratada pelo Exercito, na inóspita Amazônia, respondeu:

 O Exército vive de Ideologia, a Igreja vive de Religião. Nós, Garimpeiros, vivemos de Realidade. 

Isto posto, Medicina à parte, então, em nome de uma Saúde Pública mínima, ante a quadros cada vez mais graves:

Um pouco de Materialismo Histórico , e de Karl Marx , no País do Mac Donald´s e da Coca-cola Company, por certo, não farão mal a ninguém.

 Wellcome: Que venham os Cubanos ! 

Crônica postada originalmente em www.paralerepensar.com.br

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, ALÉM DE SÓCIO CORRESPONDENTE DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLOGIAS,  POLÍTICAS E SOCIAIS DOM VASCO FERNANDES COUTINHO, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.