BRASIL : ” ÍNDIO QUER APITO, SE NÃO DER, PAU VAI COMER...”

Por : Pettersen Filho

Foi-se, há muito tempo atrás, o tempo em que, como naquela Marchinha , que encantava nossos Carnavais, de outrora, longe do Profissionalismo, e Artificialismo das Escolas de Samba, dançávamos alegres, ainda crianças, nos Salões de Escolas Públicas, e nos Clubes Sociais, o tema que nos alegrava, inocentemente: “ Ê, ê, ê, Índio quer apito, se não der, pau vai comer...” , lembranças de um velho e cândido Brasil , que, ora, não existe mais...

Vestindo bem mais que “Tangas”, Calças Pierre Cardin e Tênis Nike, e pilotando modernas Pickups, munidos, não mais de Arco-e-flexa, Tupis , Guaranis , Guajájaras , Pataxós , e tantos outros “Xós”, que se possa arquitetar, fomentados por ”ONGs” Canadenses, Norueguesas, Alemãs e Americanas, as diversas Tribos, que deram origem ao atual Brasil, mistura Portuguesa entre Brancos, Índios e Negros, não querem mais apenas apito: Querem é ver o “Pau comer”, literalmente, avançando, escandalosamente, sobre áreas de lavoura produtiva, Brasil a fora.

 

Pelo menos é essa a nítida “Impressão” que temos, ao assistirmos a brilhante Palestra do General Villas Bôas, curiosamente, sobrenome que guardam os “Irmãos Villas Bôas”, Indigenistas, reconhecidos mundialmente, pelo Humanismo , sendo os primeiros a travar contato com muitas das Tribos hoje conhecidas do Amazonas , ao discorrer, especificamente, sobre a Amazônia Brasileira , e, no genérico, sobre a questão Indígena , hoje, no Brasil, onde, assanhados por um Discurso Liberal, Neo-estrangeiro, ocupam áreas tradicionais de Agricultura , e Rodovias Federais, de norte a sul, dos Pampas ao Oiapoque, numa espécie anômala de “Revolução Pele Vermelha”, por todo Pais, reivindicando demarcação de terras, e desapropriações, sem eira, nem beira.

Detentores, evidentemente, de “Direitos Humanos”, até, Indígenas , sem duvida alguma, tal qual os Quilombolas , descendentes de Negros e Escravos Africanos, também, substancial percentual da População Brasileira , como o são os descendentes de Portugueses, Italianos, Alemães, não pode, contudo, tal “Contingência” ser fator de desagregação, e desnacionalismo, como o deseja a atual Administração PT, tendentes a criar “Novas Nações” dentro do Brasil , diminuindo-lhe a Identidade Cultural , e, até, Soberania .

Já imaginaram se os Tomhawk, Cherokees e Navajos reivindicassem, de volta, em pleno Século XXI, a Ilha de Manhatann , Nova Iorque, ou os Descendentes do Homem de Neandertal , hoje completamente extinto, requeressem a desocupação de Londres , pela simples evidencia de vestígios da sua passagem por lá, séculos depois da colonização ?

É o que querem fazer, presentemente, com o Brasil , transformando-o numa “Síria do Futuro”, ao criarem tantos “Estatutos”, do Idoso, do menor, dos Esportes, pulverizando o senso geral de Nacionalidade , criando novos filões, e dividindo a Sociedade , outrora, embora particularizada, mas homogênea, num jogo perigoso de Separatismo , botando, no Português claro, “Fogo na Oca”.

Tal como bem explanado pelo General Villas Bôas, durante Palestra no Instituto Plínio Corrêa de Oliveira , em São Paulo, no ultimo dia 19/09, já denunciávamos, em Matéria de nossa Edição , quando da criação da Reserva Raposa Serra do Sol , em nosso Editorial, a cerca de três anos atrás, intitulado “Nosso Erro Amazônico” : http://www.abdic.org.br/index.php/home-3/261-raposa-serra-do-sol-nosso-erro-amazonico 

Vejam então, o quão grave, e contundente, o alerta do General, infelizmente, não assimilado pela Mídia Tradicional, mais tendente ao Patrocínio Estrangeiro, e aporte de verbas: http://pt.gloria.tv/?media=502787

É.ou não é, de estarrecer !

Crônica Publicada originalmente em www.paralerepensar.com.br

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, ALÉM DE SÓCIO CORRESPONDENTE DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLOGIAS,  POLÍTICAS E SOCIAIS DOM VASCO FERNANDES COUTINHO, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO