DIARIOS EN LA NOCHE

Por : Pettersen Filho

Colocaría en la sección

de clasificados del diario:

" se ofrece un amor gratuito"

se resolviese, mi amor.

 

Mas tú no lees diarios,

ellos son apenas noticias nuevas

de un mundo viejo.

 

Pero si en una noche de frío

perdida por las calles de la ciudad

Leia mais...

CARTA ÍNTIMA

Por : Perpétua Flores 

  Me culpo. Y te culpo.

  Vivíamos plenos de amor y de ventura y la mínima ausencia nos dejaba

ansiosos, dolidos, sombríos. Muy juntos, día y noche, nuestros  abrazos

formaban una sola persona y las palabras tan sentidas, por ambos   nos

confundían, difícil recordar si tú o yo las habíamos dicho...

  Días de música y poesía, de planos; noches de contemplación de la na-

turaleza, tan cerca del sueños y tan real, los pasos de uno hacia el otro,

amor denso y ardiente.

Leia mais...

RENNE FAVALORO

Por : Perpetua Flores

Sus mansas manos, alzan como joya
ajeno corazón triste, dolido.
Lo suavizan, curan, vuelven a ponerlo
- palpitando feliz – en su estuche.

Mil veces así, el corazón en la mano,
su sapiencia y vocación humanitaria...
Humilde, sabio, noble, la grandeza
dignifica y lo asemeja a un ángel.

...................................

Pero un viento norte, como bisturí,
sin anestesia, lastima su vida...
Y decide morir. El flash de un tiro
parte su corazón. Y lo lloramos.

Leia mais...

O PARALELISMO ENTRE LEITURA E ESCRITA

Por : Décio Adams

Acabo de ler o livro "Leitura e escrita na escola: ensino e aprendizagem" (editora Multifoco, 2016), de autoria do amigo professor e escritor Roberto de Queiroz, que mora no estado de Pernambuco, mais precisamente em Camela – Ipojuca. Fiquei encantado com seu trabalho, uma vez que é coisa rara vermos um professor dedicar tempo e esforço na elaboração de um texto preocupado em destacar a importância da leitura, desenvolvida em paralelo com a escrita.

Leia mais...

RESPONDENDO AO SALÃO DO REINO DE DEUS

Por : Teresinka Pereira

Depois que recebi uma carta de um afiliado ao Salão do Reino... resolvi responder para evitar que nem ele nem seus companheiros do Reino percam seu tempo em me dar respostas a perguntas que eles mesmos fazem para atrair fiéis para a sua igreja: "Por que Deus permite o sofrimento?", "Como ter uma vida familiar feliz?", "Onde estão os mortos?" Fiquei rindo, enquanto lia a tal carta, e pensando na simplicidade mental dessa gente. E resolvi ter paciência para explicar-lhes que não tenho nenhum plano de encontrar-me com eles para discutir, pessoalmente, o assunto que me propõem. Faz muito tempo que respondi por mim mesma a essas perguntas que por sinal apresentam de princípio uma falsa premissa: que Deus existe!

Leia mais...

EXPECTATIVA

Por : Pettersen Filho

Os meus anos se passaram

com um terrível gosto

de arroz com feijão...

A minha mocidade se perdeu

nas bolinhas de fumaça

de um cigarro que traguei.

 

Os goles de cachaça

me ardem na garganta

até hoje...

Descobri que sempre fui

a expectativa de um futuro

que nunca virá.

Leia mais...

NORMAL

Por : Pettersen Filho

Nas garagens

Os carros dão partida

Nos edifícios

Os elevadores são acionados

Nos viadutos as buzinas tocam...

 

O sinais se fecham

As placas proíbem

O tempo passa...

E não acontece nada!

Leia mais...

CONFIDENCIAL

By : Sys (Ecosys-Cordel)

Vi meus versos num jornal

Jornal do dia

Dia que pedia calmaria

Calmaria emocional

Emocional sempre igual

Igual fruta no pé

Pé de laranja não dá café

Café bebi lendo cordel

Cordel foi parar num papel

Papel que ia acender a chaminé.

Leia mais...

O EDIFÍCIO

Por : Pettersen Filho

 

Lá perto de Casa

havia um Terreno Baldio...

nele eu tinha

o meu Pé de Flor.

 

Lá perto de Casa

havia um Terreno Baldio...

nele a criançada

se divertia.

Leia mais...

SOLAMENTE A LOS COLIBRÍES PERTENECEN LAS FLORES DEL JARDÍN

Por : Pettersen Filho

NO.

Nadie podría

siquiera imaginar

que en aquella mañana

nebulosa y oscura

iría nacer

una flor en el jardín

 

 

No.

Nadie podría imaginar

no en aquella mañana

nebulosa y oscura,

abandonadas las calles

cerradas las casas

todo era solo tristeza.

Leia mais...

VIVO !

Por :  Pettersen Filho

Cuando lloro

las lágrimas tienen gusto a cerveza

y me embriagan.

 

Cuando respiro

el aire tiene aroma de cigarrillo

y toso esencias de lírios.

 

Cuando bebo

el agua tiene gusto de arsénico

y vomito rosas por el suelo.

Leia mais...

HIPÓCRITA

Por : Pettersen Filho

 

Não consigo

me olhar no espelho

sem me enxergar

vetor de uma civilização hipócrita.

 

Um telefone

ao alcance da mão

é tudo que necessito

para me enganar...

 

Uma vodka com gelo

um retrato amarelo

uma mulher de aluguel.

Leia mais...