NEGLIGÊNCIA NO FUTEBOL

Por : Cel. José Batista Pinheiro

 Somos muito negligentes na cultura e no saber. Não fomos campeões  nenhuma vez no prêmio Nobel. Agora chegou também a negligência no futebol. Era previsível esta derrota. Desde o jogo inaugural contra a Croácia que a equipe brasileira demonstrou ser fraca, mal convocada, desorganizada, e mal treinada. O Brasil vive de conversa fiada. A nossa seleção de futebol não se preparou para competir. Jogadores importados dos principais clubes europeus, ganhando fortunas em salário, todos achando que a fama e a tradição do Brasil de ser o país do futebol eram suficientes para o sucesso. Sem autocrítica pessoal achavam que ganhariam a copa somente com papo furado, dando autógrafos e entrevistas fúteis em vez de trabalhar pesado. Tudo no mais alto luxo da Granja Comary no aprazível clima de Teresópolis, RJ, com conforto, e tratamento principesco achando que a conquista da taça lhes cairia aos pés.

 

A começar por algumas autoridades brasileiras que, dando mal exemplo, falam muito, mas pouco trabalham para o progresso do Brasil, achando que tudo se resolve com uma boa conversa, esperteza e falsa aparência. Estudo e trabalho são coisas secundárias. Este final triste e melancólico da nossa seleção de futebol com a vexatória derrota para a equipe alemã foi o espelho cruel e um sinal de alerta aos brasileiros que vivem e acreditam em papo furado, garganta, mentira e falsa euforia, "enquanto a vaca vai caminhando para o brejo".

            A Alemanha é uma grande, progressista e moderna nação, exemplo para todos os povos do planeta. A seleção alemã de futebol se escondeu no Sul da Bahia para trabalhar forte e treinar até gastar o último pingo de suor, ganhar conjunto e ficar em condições de competir. O futebol é um esporte coletivo. Os alemães sabem disso. Eles apenas jogam um bom futebol e vieram alertar a todos os brasileiros que não se devem viver somente de conversa de botequim, fanfarronice, entrevistas e, sim, de trabalho, suor e disciplina que o futebol moderno exige.    

            O mundo inteiro está elogiando o sucesso e a organização do evento da Copa de futebol no Brasil. Entretanto, foi também uma Copa muito onerosa para um país pobre, como o nosso, que apenas é considerado emergente no conceito das nações do mundo. Os 30 bilhões de reais gastos com a demolição  de 10 estádios de futebol de nível internacional já existentes no Brasil e a construção de outras 12 arenas (estádios) por exigência da FIFA foi o começo da nossa ruína na Copa.

 

José Batista Pinheiro – Cel Rfm do EB

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.