JOÃOS E MARIAS

Por : Pettersen Filho

Sei que existem os homens que, ao contrário de mim, são grandes !

Grandes não só pelo que fazem, mas também pelo expressivo poder de persuasão no seio social.

Estes, geralmente, são na sua grande maioria empresários, políticos ou jogadores de futebol.

Quase sempre apáticos ao sofrimento alheio.

 

Porém, estacionados abaixo desses homens, eu sei, existem os que são pequenos.

Pequenos pelo que consomem e pelo que relativamente têm.

 

Estes trafegam nos subterrâneos da História...

Não têm nome, nem rosto.

São guerreiros do dia-a-dia na luta pelo prato de feijão.

São pretos, brancos e amarelos...

Milhares de Joãos e Marias.

Estes trabalham por um Mundo verdadeiramente melhor, seja mexendo massa nas construções, seja na beira dos tanques, lavando a roupa suja...

Estancados no tempo e na própria inexpressão.

 

São estes, eu sei, os que lutam pelo verdadeiro progresso. Pela ascensão e dignidade humanas acreditando estar nas coisas simples e na paz social a verdadeira grandeza.

Sobre a desnutrição de seus corpos e exploração da sua força de trabalho erguem-se fabricas e monumentos aos generais, lançando assim a base de um País do Futuro que para eles, jamais haverá!

Contudo, não sabem a força contida em seu intimo coletivo.

São estes os verdadeiros GIGANTES!

(Poema “Joãos e Marias” extraído do Livro “Inconfidente Mineiro – Ilustrações & Poesias” de Antuérpio Pettersen Filho – Publicação Independente– 2002 )