DEFEITO

Por : Pettersen Filho

Do outro lado do meu peito

mora uma mulher

que feito a solidão me visita

Me suga a vida

como um bêbado

a um copo de whisky

 

 

É uma metade

que me corta ao meio

sem sangrar

Me manda sempre

por caminhos tortos

onde não está ?

 

Vou percorrer os labirintos

que existem ocultos

dentro do meu peito

Quero saber de vez

que essa mulher

sou eu mesmo...

O meu defeito!

 

(Extraído do poema “defeito” da Obra “Inconfidente Mineiro – Ilustrações & Poesias” de Antuérpio Pettersen Filho – Publicação Independente – 2002 )