O VELHO

Por : Pettersen Filho

Todos os dias

o Velho acordava

pegava a cadeira e colocava na varanda

e assistia as pessoas passarem...

 

 

Todos os dias

o Velho acordava

pegava a cadeira e colocava na varanda

e assistia as pessoas passarem...

 

Um dia

o Velho não acordou

não pegou a cadeira

não varreu a calçada

não assistiu

as pessoas passarem...

O Velho passou!

 

(Extraído do poema “O Velho Pai” da Obra “Inconfidente Mineiro – Ilustrações & Poesias” de Antuérpio Pettersen Filho – Publicação Independente – 2002 )