MARIONETES DO SISTEMA

Por : Heitor de Pedra Azul

As cordas, que prendem os marionetes,

Tais caminhos do sangue até o coração,

São veias que servem aos poetas

Nas estradas tortuosas da razão.

 

São continuos tuneis obscuros,

Onde a clarividência da vida anuncia

Veras historias além de quaisquer muros,

Que ultrapassam o limiar dos nossos dias.

 

 

... é o marionete locutor de leis do mundo.

Um traste imundo manejado por sistemas,

Reviravoltas que se impõem a alguns poemas.

 

Pensando bem... é um poço não profundo,

Sem sutilezas, sem bordas, ou sem fundo...

Um vivo-morto mal perdido em teoremas.

 

*** Heitor de Pedra Azul - Saint Julien les Villas, 19/01/2009

**** Droit d'auteurs, direitos autorais: Sacem

Contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.