DE BORBOLETA A LAGARTA

Por : Percival Puggina

          A transformação da lagarta em borboleta é de exemplar riqueza poética e estética. A lagarta é feia, a borboleta bonita; a lagarta se arrasta sobre o próprio ventre, a borboleta adeja livre; a lagarta se esconde, a borboleta domina o cenário com sua irrequieta presença. Mas a lagarta e a borboleta não têm escolha. Aquela não pode deixar de evoluir; esta não pode regredir. Se fosse dado as borboletas reverter seu destino, as que fizessem isso cumpririam um script corrupto, sombrio, insano.

Leia mais...

A CUALQUIER MOMENTO CUALQUIER COSA PUEDE SUCEDER

Por : Pettersen Filho

Ha algo mas pesado en el aire.

Ha algo mas circulando

por las calles de la ciudad,

algo mas que motocicletas

y carros en alta velocidad...

Leia mais...

ZOOHOMEM – POESIA PARA MICHEL

Por : Pettersen Filho

Eu ontem fui ao Jardim Zoológico,

como uma Fera, com a Bela...

 

Eu ví o Tigre,

O Leão,

A pantera, com a bela...

Leia mais...

A ROSA E O BANDIDO

Por : Pettersen Filho

No Jardim da Casa

onde morava um Bandido

um botão se abriu em rosa

e desabrochou.

Não compreendendo

que aquele Jardim era proibido

a Rosa ali continuou.

Leia mais...

AMOR POR ALEXANDRA....

Por : Pettersen Filho

 

Eu amo tanto, amo tanto,

a minha Mulher, que, se de ferro ela fosse

como de Ferro

Ela é

Eu seria Ferrugem

como Ferrugem

Eu sou....

Leia mais...

ETÍLICAS ESCARAMUÇAS:

 Por : Hélio Petrus e Paschoal Motta

O MUNDO VAI-SE ALISTAR

NUMA GUERRA POR CACHAÇAS,

NOS PAÍSES, EM CADA BAR,

NAS RUAS, BECOS E PRAÇAS...

 

VIRÃO CRIANÇAS E IDOSOS,

CEGOS, SURDOS E MUDOS;

OS SARADOS E GOTOSOS.

OS FRACOTES E MEMBRUDOS.

Leia mais...

O MERCADO CENTRAL

Por : Pettersen Filho

 

São cinco horas

Já começa o movimento

No Mercado Central

Falar demais pode ser

Um pecado fatal

Leia mais...

FUGITIVO

Por : Pettersen Filho

Fuja mil mundos

Esconda-se em cada beco escuro

Atrás da pouca luz...

Embrenhe-se até o fundo

Do matagal

Cruze fronteiras e metrópoles

Viaje constelações perdidas

Que ainda assim não conseguira

Fugir de mim.

Leia mais...

LINDA SENHORA

Por : Vivaldo Terres

Este beijo ardente. 
Que me deste agora, 
Fez-me delirar minha senhora. 
E sentir algo estranho,
Que não senti outrora.
***
Tal a magia deste beijo quente,
Que me fez pulsar o coração.
E fazer vibrar a minha imaginação,
Tirando-me quase fora da razão.

Leia mais...

SERRA DO CURRAL

Por : Pettersen Filho

Lá na Serra

Havia um Curral

Não

Há mais.

Leia mais...

PETTERSEN FILHO : NORMAL

Por : Pettersen Filho

Nas garagens

os carros dão partida

Nos edifícios

os elevadores são acionados

Nos viadutos as buzinas tocam...

Leia mais...

JOÃO SEM TERRA

 

Por : Pettersen Filho

João

Que não tinha terra

Agora tem...

 

João

Que não tinha terra

Agora tem...

Leia mais...