VIVO OPERADORA: “ ERRO” DE EMPRESA SILENCIA ASSOCIAÇÃO...

Por : Pettersen Filho

Campeoníssimas absolutas das  Reclamações  nos  Procons  e  Juizados  Especiais  Cíveis de Pequenas Causas, os Serviços de Concessão Pública de  Telefonia  Celular  , verdadeira coqueluche que acomete o  Brasil  na ultima Década, ligando via Rádio o País de Norte a Sul, sintoma da mais completa modernidade tecnológica, abrangendo, Já, Serviços de Terceira e Quarta Geração, acesso a Internet e transmissão de dados, via Web, em geometria e escala tão fenomenalmente velozes, tanto como se expandiu, na mesma proporção, acumula déficits operacionais e queda no  Sistema  , transformando o  Serviço  , por vezes, em verdadeira incógnita, chegando, em certos momentos, a causar saudosismo, aos que se reportam aos tempos em que tais  Serviços  eram confiavelmente disponibilizados por  Empresas  Públicas  , antes da famigerada  Privatização  .

 

Bem  elementar ao  Ser  Humano  , desde que o Primeiro Homem, ainda na Idade das Pedras pegou um Osso e, provavelmente, projetou-o em movimentos repetidos contra um velho Tronco de Árvore, estabelecendo limites ao seu Território, a  Comunicação  , em tempos modernos alça um novo patamar, chegando a significar a essência da própria  Cidadania  , “Bem Democrático”, daí a sua imprescindibilidade.

Mas esse, seguramente, não é o caso, ou, pelo menos, a  Norma  Comum  por que se pautam certas  Operadoras  no Brasil.

Assim é que, conforme  Ação  que ingressou na Justiça, como mero Cidadão Brasileiro, desde o ultimo dia 11/10, distribuída ao Douto 7º Juizado Especial Civel de Pequenas Causas de Vitória/ES, o Advogado  Pettersen  Filho  , requereu da  Operadora  Vivo  Celular  que restabeleça o  Serviço  Telefônico  prestado pela Empresa em seu favor, já há mais de cinco anos, cuja Linha Celular 27-99717662, de seu uso particular, foi inadvertidamente suprimida pela Empresa, em atitude unilateral e irresponsável.

Na  Ação  , ainda sem Despacho Judicial, onde em sede de  Tutela  Antecipada  , o Advogado requer o restabelecimento do  Serviço  , cujo numero, ao ser acionado pelos seus Clientes (27-99717662), na tentativa de Contato, tanto em Ligações oriundas do seu Aparelho Celular, como de Terceiros, consta “Numero Inexistente”, Pettersen requer, também, Indenização por Perdas e Danos Morais.

Tanto mais grave a  Ocorrência  , por tratar-se de  Numero  já plenamente conhecido pelos que afluem à  ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Indivíduo e da Cidadania  , onde Pettersen perpetra atendimento ao  Consumidor  , como ele próprio, nesse caso, Lesado por “Erro” ou  Má  Fé  da Companhia, o que se espera para o caso é “Punição” exemplar a Empresa, quem ora Silencia o “Grito Cidadão”

Fica ai, então, aos nossos  Associados  e  Amigos  , o nosso pedido de desculpas e a nossa mais completa indignação.

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.