AMEAÇA NO NORTE: “ RAPOSA SERRA DO SOL ”

  • Imprimir

Por : Pettersen Filho

Os menos incautos, quem assistiram a Entrevista do General de Divisão, Augusto Heleno Ribeiro , num dos mais Tradicionais e Democráticos Programas de Televisão da Rede Bandeirantes , o Canal Livre, estranharam, minimamente, aquele Homem das Casernas , de Uniforme Solene, e camuflado, como quem vai para a Guerra na Selva, imaginando tratar-se de mais uma Bravata , dessas, das Repubiquetas Latino-americanas, de um General Fanfarrão Caudilho , no afã de manter o seu Poder Despotatario, não fosse o Brasil, atualmente, uma Democracia Plena, com Congresso e Tribunais Operantes, mesmo que a descontento de alguns, e a uma velocidade/produtividade realmente questionáveis, não fosse o General em questão Homem Habilidoso , afeito a Arte da Guerra, com conceito internacional, já com passagem no Haiti, a frente das Tropas Brasileiras de Pacificação, a Serviço da ONU- Organização das Nações Unidas, e se não fosse Realmente Dantesco o quadro que traçou, como quem examina o Mapa do Campo de Batalha, como um Napoleão, antes do combate.

 

Naquele Programa, sabatinado por competentes, e indagativos, Jornalistas, e não na Caserna, como lhe seria habitual, diante das Tropas, subordinada e hierarquicamente perfiladas, ouvindo a Ordem do Dia , rotineiramente, por dever de oficio, referindo-se ao atual estado das Tropas Brasileiras, ao afirmar que o Exercito Brasileiro, como de fato, vem sofrendo um processo de sucateamento continuo, há mais de vinte anos.

Assim, tal qual um Comunicador de Massa , falando em nome próprio, e das Armas, sujeito a aplausos e vaias, diante do qualificado auditório, ele sacramentou, referindo-se ao Brasil, e as suas potencialidades, como Nação e Poder Armado, mais ou menos, com a seguinte frase: “ Não se pode tomar conta de uma Mansão, em que todos querem entrar e invadir, com um Poodle. E preciso ter um Pitbull .”

Ora, tais palavras, se ditas na Caserna, seria mera praxe ufanista ou corporativa, de quem fala aos subalternos, para consumo próprio e afirmação da autoridade, mas, não diante de um Canal de Televisão Aberta, vindo do Reconhecido Comandante Militar da Amazônia, ao passo que, o Estado de Roraima, na estratégica fronteira do Brasil com a Venezuela, esta prestes a explodir, e quando, ostentando um habitual nome criativo, “Operação Upatakon 3 ” a Policia Federal esta prestes a consumar, diante da resistência implacável, e anusual, dos Arrozeiros, que ocupam parte da Terra Indígena Raposa Serra do Sol , Mandado de Desapropriação, em favor dos Indígenas, ou dos que assim se fazem passar, próxima de tomar a maior corrida da sua Historia, devido a forte resistência demonstrada pelos Arrozeiros, derrubando pontes e preparando Coquetéis Molotov, a moda da velha guerrilha bolchevista, para qual, por razoes políticas e de logística, a própria PF não esta preparada.

Diante do embate eminente, em que se confrontam um conjunto espúrio de forças, umas ligadas aos Indígenas, outras se valendo deles, com caras e siglas tão diferentes, quanto promiscuas, que vão do Green Peace , internacional, passando pelo CIMI – Conselho Indigenista Missionário , com raízes na Igreja Católica, chegando aos Missionários Evangélicos, Mórmons , e outros alienígenas, culminando com o GTA – Grupo de Trabalho Amazônico , de cunho Estatal, legitimando interesses dos Empresários Locais, que vão de Madeireiros, Garimpeiros, Grileiros e Rizicultores , usando de muita sapiência, diante do Derradeiro Desastre, o Governador de Roraima, Jose Anchieta Junior, do PMDB, adveio com uma inusitada Ação Cautelar , cuja liminar, concedida às pressas pelo STF, ainda ontem, tão logo protocolada, refreou, por ora, os ânimos locais, suspendendo a Operação .

Criada em 1998, pelo Governo Fernando Henrique Cardoso, dentro da sua Linha de Estadista Internacional Multifacetado , em sintonia com a novíssima Onda Verde no Planeta, através da Portaria 820/98, ultrapassando o que seria o Legitimo Interesse da Soberania Nacional , afora a relevante e justa Causa Indígena , em terras da estratégica fronteira amazônica com a Guiana e a Venezuela, a área foi homologada pelo Presidente Lula, em 2005, concedendo a pouco mais de 15.000 Indios e descendentes miscigenados, de diversas etnias, uma área continua de cerca de Dois Milhões de Hectares , quase do tamanho de Portugal ou da Holanda, sobre a qual o Estado Brasileiro tem pouca, ou nenhuma, influencia. Sem que ao menos o Idioma Português, superado pelo Inglês e Francês, se fale por lá.

Tamanho disparate jamais se viu no Exterior, pelo menos, ao que se saiba, não ha nenhuma Reserva de Sioux, ou de Índios Mescaleros na fronteira dos EUA com o México, e seus narcotraficantes, ou entre os Estados do Alaska, nos EUA, e Vladvostok, na Beligerante Rússia.

Enfim, diante da Eminente Tragédia que se apresenta, na altivez dos seus gabinetes refrigerados e seus sapatos de cromo alemão, parece que os nossos Doutos Julgadores, sem mesmo sujarem os sapatos da Lama Amazônica , souberam realmente utilizar suas canetas, ao assinarem o provisório Armistício , pelo menos ate que novamente a Raposa invada o Galinheiro chamado “ Brasil ”, cantando a velha Marchinha Momesca: “ O, O, O. Índio quer apito. Se não der, pau vai comer. 

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, ALÉM DE SÓCIO CORRESPONDENTE DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLOGIAS, POLÍTICAS E SOCIAIS DOM VASCO FERNANDES COUTINHO, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO

 

 

 

DEFESA DO CONSUMIDOR – CIDADANIA - PEQUENAS CAUSAS CIVEIS ???

  

“DIVULGUE NOSSO TRABALHO PARA QUE NÓS TAMBÉM DIVULGUEMOS VOCÊ”

REPASSE ESSE E-MAIL A UM AMIGO !