PAULINHO PEDRA AZUL : “HOSTEL & CERIMONIAL INCONFIDENTE MINEIRO CONVIDAM...”

Por : Pettersen Filho

Dando início a sua Programação Cultural no ano de 2018, ainda nem bem passadas as Festas Natalinas, e o Carnaval, que se aproxima, o Hostel & Cerimonial Inconfidente Mineiro já anunciam a Apresentação Musical do Artista, Musico e Compositor, Paulinho Pedra Azul, em show intimista, tipo Banquinho & Violão, marcada para o Dia 22 de Fevereiro, em edição única e exclusiva, para pouquíssimos convidados, em especial os seus frequentadores, na Região da Pampulha – Belo Horizonte – MG.

 

Compositor de canções líricas, em declarado amor pela Natureza e Humanidade, Paulinho Pedra Azul, oriundo do Vale do Jequitinhonha, mais propriamente da Cidade de Pedra Azul, também conhecido como o Cantor do “Jardim da Fantasia”, tamanha a empatia, e associativismo do Público com uma das suas mais belas canções, não nos esquecendo, também dentre outras, de “Vagando” e “Recado para um amigo Solitário”, nos prestigiará em show regado a deliciosos tira gostos mineiros, preparados pela Alexandra (nossa Gourmet), e cerveja gelada à la carte, como é tradicional nos Eventos promovidos pela Casa, o Cerimonial Inconfidente Mineiro.

Com data marcada para 22/02/2018, Quinta Feira, às 21:00 hs, logo após o Carnaval, quando realmente o Ano Comercial se inicia no Brasil, os ingressos seletivos antecipados serão disponibilizados em breve, junto com o valor a ser cobrado (R$50,00 Meia Entrada) , com direito a um assento à mesa.

O Hostel se localiza à Av. Deputado Anuar Menhem, 1075 – Santa Amélia – Pampulha e o Contato pode ser feito através do Tel/zap (31)996650965 ou www.inconfidentemineiro.com.br

 

 

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadã”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC