LOLLAPALOOZA : “O GRITO DOS INCLUIDOS NO BRASIL...”

Por : Pettersen Filho

Festival de Rock, Show que acontece de tempos em tempos, tal qual o “Rock In Rio”, de caráter eminentemente comercial, calado nos últimos dois anos, em razão da Pandemia Planetária, muito diferente do que foi, por exemplo, Woodstock, nos anos 60, manifestação espontânea da Geração Hippie, dos Pacifistas e da Sociedade Civil, contra o Racismo, o Capitalismo e a Guerra do Vietnam, o Lollapalooza, transmitido pela Rede Globo, Arquinimiga do Presidente Bolsonaro, quem não enche os cofres da Emissora, não mais, com verbas publicitárias, no famoso “Cala Boca” praticado pelos Governos anteriores, ao vivo e à cores, ocorrido essa semana no Brasil, de súbito, converteu-se em Palco Político, em antecipação de Campanha para a Presidência da República, em que Artistas, da estirpe, ou do estirpe, não sei se estou cometendo Crime de Gênero, tipo Pablo Vittar, Ele, ou Ela, juro que não sei, mais isso, não importa, entoou diante do Público presente um sonoro “Fora Bolsonaro”, mesmo à frente do Fio Dental, à espremer as suas possíveis genitálias.

 

 

Canto que ecoou em Brasilia, ao ritmo já visto antes por nós, quando inocentes, do : “Olê, olê, olê, olá, Lulá”, que não mais nos encanta, socorrendo, às pressas, a Legislação Eleitoral, nesse caso, prostituida e lesada, em que, Evento particular, balizado pelo Poder Público, cuja estrutura e admissibilidade suporta o próprio Tesouro, com Prefeitura, Detran, Vigilância Sanitária, Polícia Militar, manifestou-se, logo, um dos Ministros do TRE, pela proibição de que se manifestassem, politicamente, para esse, ou aquele, candidato, os Artistas presentes, tentando assim, impossível, retornar com o Gênio à Garrafa...

 

Emenda que ficou pior do que o Soneto, a essa altura, o Show, apressadamente, já, chamado de “Lulapaluza”, em alusão ao Candidato, Ex-presidiário, de qual nutrem profundas saudades, a Globo, das verbas Publicitárias, os Artistas, Órfãos da Lei Rouanet, que Bolsonaro moralizou, ainda mais gritaram, alegando possível “Censura” !?

 

Público presente, esse, chamado pelos Sociólogos de “Geração Neném”, nascidos nos últimos 20 anos, que não conheceram a Ditadura Militar, nem a Guerra Fria, somente as Leis protetivas, ou castradoras, de Cota Racial, Estatuto do Idoso ou da Criança e Adolescente, Maria da Penha, que tanto sectarizam a Sociedade, e estabelecem privilégios, a dita Geração, em sua maioria, que “Não Estuda, e Não Trabalha”, dai Neném, na verdade, distante do Grito que sempre propagou a Esquerda esquálida brasileira, e da Igreja Renovadora, dos Excluídos, dos Sem Teto, Sem Terra, e dos Sem Vergonha, muito distante dos que cantam Funk ou RAP, nas Favelas e Periferias, esses, sim, os verdadeiros Excluídos, sem que o saiba, está a proclamar, na Guerra do Bem contra o Mal, como bem o disse Bolsonaro, ao lançar a sua Campanha, diante de Quadro tão Critico, que, a Ucrânia, hoje em Guerra Civil, na verdade, dependendo do que ocorrer em 15 de Novembro, será aqui !

 

Chamem o Zelensky para nos ajudar, ou, então, não digam depois, que eu não avisei...

 

PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO