“FAROESTE CABOCLO” NA SERRA DO CIPÓ: “DO RIO QUE TUDO ARRASTA, SE DIZ VIOLENTO, MAS NÃO SE DIZ VIOLENTAS AS MARGENS QUE O OPRIMEM (Bertold Brecht)”

  • Imprimir

Por : Pettersen Filho

Região de inigualável beleza, preservada e relativamente pacata, que abrange a Nascente, e Reserva, do Rio Cipó (Foto acima "Juquinha" Personagem mítico, dizem que Real, protetor da Serra - Escultor Arcanjo), a cerca de cem quilômetros de Belo Horizonte, justamente para onde afluem os moradores de BH, nos feriados e fins de semana, em busca de alguma natureza, águas que não as de Guarapari (ES), verdadeiro Mar de Minas, encravado na singularidade das suas Montanhas, é objeto, também, de especulação imobiliária, e por que não dizer, grilagem.

 

Pelo menos foi esse o nosso caso, ao adquirirmos, pequena porção de terra, às margens do bucólico Rio Cipó, em Distrito de Jaboticatubas, entorno da Serra, no Capão do Xirú, cujo um dos fracionários herdeiros daquela Fazenda, situação até muito típica no Cipó, desmembrada, em que, após investirmos na paz e tranquilidade, de pequeno Rancho, ali, com casinha e muita preservação, nos foi privado, por Sargento da Reserva do Exército, modismo atual, penso, imaginando-se ainda na Caserna, ao lado da PT que porta, Dono do Rio, quem cercou o acesso contratado, levando-nos a impor Ação na Justiça, por reintegração de posse, utilização da Estrada de acesso, também fechada por porteira e cadeado, junto com a proibição de acesso ao Rio, perfazendo daquele paraíso, que ousamos chamar de “Passargada” (Manoel Bandeira – “Vou-me embora para Passargada, onde sou amigo do Rei), nosso particular purgatório.

Qual não foi nossa grata surpresa, essa semana, a Juíza da Comarca, atendendo nossa súplica, diante dos acontecimentos, em que chegamos a ser conduzidos por Políais Militares, diante do impasse, impôs multa em razão da Cerca erguida no acesso ao Rio, e determinou, sendo o caso, a abertura forçada do Rio pelas Autoridades.

Donde concebo, citando livro de minha autoria “Inconfidente Mineiro – Ilustrações & Poesias”, no qual, talvez num processo antigo de premunição, há mais de vinte anos escrito, jamais dantes imaginado, parodiando Bertold Brecht, sensacional Filosofo e Dramaturgo Alemão, plagio-o:

“Das Margens que tudo oprimem, se diz opressoras, mas não se diz Opressor o Rio que as arrasta”

Segura Cipó :

“Vou-me embora para Passargada, lá eu sou amigo do Rei. Vou-me embora para Passargada, lá, terei as mulheres que quero, na cama que escolherei... !!!)

 

PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.