RUFAM OS TAMBORES : DO BRASIL, MIKE POMPEO AMEAÇA MADURO: “VAMOS RETIRAR ELE DE LÁ!”

Por : Pettersen Filho

Em breve Tour pela América do Sul, em Roraima/BR, o Secretário de Estado Norte Americano, Mike Pompeo, em visita ao refugiados venezuelanos na Fronteira brasileira, disparou a sua metralhadora verborrágica, referindo-se a Maduro : “Vamos reiterar ele de lá”, rompendo de imediato com toda possível neutralidade que poderia possuir o Brasil quanto ao tema: Golpe na Venezuela.

 

 

Profundamente incomodados com a forte presença Russa no País, também iraniana, chinesa e cubana, armados até os dentes, Eles, americanos, para quem sempre a América Latina foi o fundo do seu quintal, uma espécie de Protetorado Americano, com a qual tem convergência natural, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, passando por toda a Guerra Fria, porquanto intervieram, com Golpe Militar, no Brasil, Uruguai, Argentina e Chile, sempre sub-rogando o Poder a um General de Plantão, quando lhes é conveniente, a exceção de Cuba, Ilha Rebelde, os EUA nunca engoliram Hugo Chaves, e a sua Revolução Bolivariana, que ameaça unir toda a América Caribenha, quiça Latina, com o Pan-bolivarianismo, exatamente contrário a ideologia Norte-americana de dividir para dominar, preferindo tratar caso a caso, País por Pais, ao invés de uma psèudo América Latina unida, ideia que permanece na Venezuela, através de Maduro, mesmo após a morte de Chaves.

 

Pais estratégico no Caribe, e América Central, com extensão à América do Sul, Amazônia e Andes, a Venezuela é riquíssima em Petróleo, ainda hoje, mesmo diante das barreiras ideológicas, cujos EUA os maiores compradores, até que surgissem Russos e Chineses, a apoiar o Regime de Maduro, contra os interesses americanos, o que causou o atual impasse geopolítico na Região, cuja moeda de troca o Petróleo, com direito a Petroleiros navegando clandestinos, carregando Petróleo Venezuelano, com direito a torpedos e sabotagem, como a Mancha de Petróleo que colheu recentemente as Costas do Brasil, no maior “Desastre” Ecológico do Atlântico Sul, até hoje mal explicado.

Pego diplomaticamente, como num saco de gatos, as declarações de Pompeo no Brasil, contraditam com a tradição brasileira de não intervenção em outros países, a exceção da nova Doutrina, que parece professar Bolsonaro, ao alinhar-se automática, e perigosamente, aos Estados Unidos, ameaçando levar o próprio Brasil para o cerne do conflito.

 

Guerra por Procuração, como tantas outras atualmente travadas no Mundo, como a da Síria, Bielorrússia ou da Ucrânia, que contrapõe indiretamente EUA x Rússia & China, é um jogo perigoso que o Brasil infelizmente, arrisca-se a bancar, ainda que aqui não se fale da Embraer e Alcântara, entregue aos gringos por Bolsonaro, com futuras e sérias consequências.

 

Será que não aprendemos nada com a Guerra do Paraguai, ao ponto de hoje querer reeditá-la ?

 

Intervenção Militar na Venezuela : “Tô fora!”

 

Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadão”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC