STF, PLACAR FINAL : “BANDIDOS 6 X MOCINHOS 5...”

Reza a Lenda que, um dos Super Heróis Marvel, por acaso, o Superman, ao patrulhar o Céu de Metrópole, em nome da Liga da Justiça, ao avistar a Mulher Maravilha, inteiramente nua, por sobre o Palácio da Justiça, toda fogosa e rebolante, não resistindo a tal cena, Ele, que já nutria certa queda pela Wonderfuul Woman, utilizando-se da sua Supervelocidade, desceu voo, e antes mesmo que Ela percebesse, deu uma rapidinha nela, que, completamente assustada com a manobra, sem perceber que fora tomada pelo Super Herói alado, exclamou ao Homem Invisível, “Você viu isso ?”,quem, deitado, deliciando-se sobre o seu corpo nú, logicamente invisível, retrucou: “... Ví, Eu não vi, não, mas meu rabo tá pegando fogo...”

 

Piada extraída de uma desses filmes de Hollywood, foi exatamente com essa sensação que acordou o Brasileiro, nessa Sexta Feira, 08/11/2019, de “Rabo Quente”, ao saber o Resultado Final do Julgamento da Prisão em Segunda Instância, Manobra Jurídica que vinha mantendo no Cárcere Condenados pela Justiça, em Segundo Grau, à partir do pronunciamento dos Tribunais, e Colegiados, inclusive, e sobretudo, os Bandidos, Corruptos e Políticos identificados, todos Denunciados pela Lava Jato, após causar ao País, Brasil, a sua maior Recessão, e Crise Política Histórica, conduzindo à Prisão, Bandidos como o Ex-presidente Lula, Zé Dirceu, Palloci, Cabral e outros, quando, Voto Minerva do Presidente Dias Toffoli, escancarou as Celas das Prisões de todo o Brasil, soltando em potencial cerca de 5.000 Bandidos, com tal Decisão, sepultando, de resto, com a Operação Lava Jato e o Combate a Corrupção.

Homens Togados, Semideuses, quase Heróis Marvel, haja Criptonita para afastar do Brasil tanto Vilão assim, quando sequer se sabe, nesse Pais, quem é Bandido ou Não ?

Fosse o Povo Brasileiro, dotado de uma Força Mutante, como um Bruce Baner, o Incrível Hulk, não sobraria Toga-sobre-Toga no Brasil, tamanha a afronta Popular...

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadão”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC.