... NA CALADA DA NOITE : “DIAS TOFOLLI SUBMETE SENADO E HUMILHA PODER INDEPENDENTE DA REPÚBLICA...”

Por : Pettersen Filho

Guardião último da Carta Magna da República, o STF – Supremo Tribunal Federal, nem por isso Onipotente, e Senhor Absoluto de Todas as Razões, mas, apenas mais um dos Entes da República, que compõe o Triatlo de toda Democracia, e como não a brasileira, sendo os três vértices, Poder Executivo, no plano Federal, entenda-se Palácio do Planalto, no âmbito do Judiciário, o próprio STF, e, por derradeiro, Casa Maior do Legislativo, o Senado Federal, em paradigma com a Câmara dos Deputados Federais, com quem irmana e aglutina, como condição inexorável do advento da lei, cada um deles, independentes e autônomos, com a sua competência e organograma próprio, inclusive Regimento Interno soberano, não pode, dessa feita, um Poder sobressair sobre o outro, nem o Senado, por seu alvitre, afora as Normas Constitucionais, determinar como deve o Executivo, por exemplo, pautar-se, sob pena de intervenção de um Poder sobre o outro...

 

Mas não foi esse o caso, pelo menos, essa Madrugada, de 02/02, quando arguido sobre a interpretação da Eleição no Senado, cujo proponente o abjeto Senador Renan Calheiros, outro dia, mesmo, submetido à ordem de prisão pelo próprio STF, e impedido de ocupar a a linha sucessória da Presidência da Republica, quando, questionado o STF, a interesse do próprio Renam Calheiros, de pronto, o Ministro Tofolli concedeu interpretação própria, e em poucos  minutos, revogou decisão soberana do Plenário do Senado, 50x02, pelo voto Aberto à Eleição, subvertendo, numa canetada só, anseio da Sociedade brasileira, e, impondo sob o manto escuro do Voto Secreto, a possível confirmação de Renam na Presidência, o que se converte, em nítida interferência de um Poder sobre o Outro, a que, fosse eu Senador da República, como fez na outra Oportunidade Renam, recusando-se a abdicar do seu Mandato de Senador, mandasse que o STF fosse “buscar agrião na vala”, como se referia o saudoso Narrador Kafunga, do Atlético Mineiro, quando transmitia as partidas do campeonato mineiro, diante de lances controversos e polêmicos...

“Tofolli: “Vá catar agrião na Vala !”, diria Kafunga !?

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.