EUROPA REFÉM DOS EUA: “TRUMP ABANDONA TRATADO ARMAS NUCLEARES DE MÉDIO-CURTO ALCANCE...”

Por : Pettersen Filho

Considerando, como de fato, a OTAN – Organização do Tratado do Atlântico Norte, forjada para contrabalançar o poder da antiga União Soviética, uma “Balança”, como símbolo da própria Justiça, e Liberdade, a varrer todo o Planeta com os valores do Ocidente, de Democracia e Livre Iniciativa, cujo Prato mais pesado se encontra nos Estados Unidos da América do Norte, enquanto o Prato mais leve, está posto, justamente, na Europa, aliada desde o primeiro momento aos EUA, recente decisão do Mandatário em Chefe das Forças Armadas Americanas, Donald Trump, acaba de romper unilateralmente Acordo firmado há mais de trinta anos, entre Ronald Reagan e Gorbachev, pondo fim a Guerra Fria, quando proibiram, ambos os lados, o desenvolvimento e produção de Armas Nucleares, e Misseis, de curto e médio alcance, trazendo relativa segurança à Europa, vizinhos imediatos da URSS, ora Rússia, em caso de deflagração de conflito entre os dois Blocos, Pacto de Varsóvia e Otan, dando chances de defesa à França, Alemanha, Inglaterra e Itália, alvos imediatos de possíveis ataques, enquanto os EUA, por tais sistemas, são inatingíveis, do outro lado do Atlântico Norte.

 

É exatamente essa tosca, e precipitada Decisão dois EUA que, ora, trás de volta velhas reminiscências da Guerra Fria, tendo causado protestos do Klemilím e do próprio Gorbachev, já que coloca a Europa em questão, e a própria Otan em Estado de Alerta, justamente ela, a Aliança Atlântica que, desde a dissolução da URSS, cooptou para si, e armou, antigos satélites da URSS, Polônia, Ucrânia,, Iugoslávia, Tchecoslováquia, plenamente armados, com a suástica da Otan, Misseis apontados para a Rússia, quem mais perdeu em tal contexto, razão do seu rearmamento.

Diáspora, e dilema, que sempre interessaram aos EUA, e sua portentosa Indústria de Armas, desde a dissolução da URSS, e a sua firme tentativa de se integrar-se a Europa, sempre olhada com desconfiança, e sistematicamente discriminada pelo Ocidente, colocou a Rússia um fim a expansão da Otan, desde a incorporação da Crimeia e confrontação na Síria, tentando resgatar seu antigo espaço, fato que, fatalmente recolocará a Europa na Linha de Tiro da Rússia, e vice-versa, enquanto, tranquilamente, do outro lado do Atlântico se regozija Donald Trump, quem nunca olhou com bons olhos a dependência Europeia do Gás Russo, e nem a atual independência Europeia em assuntos como a Síria e o Irã, com tal manobra emparedando o Bloco Europeus, para que escolha o seu lado.

Sorte lançada, há os que já ouçam rufar os tambores de Guerra na Eurásia, e quiça, China, quem chega a toda velocidade para contrabalançar, também com suas armas, o Mundo!

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadã”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC