BOLSONARO : “ A FACADA SAIU PELA CULATRA...”

Por : Pettersen Filho

Ditado Popular no Brasil, “O Tiro saiu pela Culatra”, quer dizer, parte de trás da Arma, que, geralmente, vitima o próprio Atirador, impressões digitais ainda imperceptíveis, do PT – Partido dos Trabalhadores, e Foro de São Paulo, ainda por serem melhores investigadas, na empunhadura da Faca que perfurou o intestino de Jair Bolsonaro, Candidato mais à Direita à Presidente da República, e seu nanico Partido, até a véspera do Atentado, não muito expressivo, quase uma voz, xenófoba, e ultradireitista, discursando na Multidão, contudo, à partir da facada, desferida aparentemente por facção xiita de adeptos do PT, tentando retirar do caminho aquele que, mais confrontava o Partido, e seu Programa de Governo, na verdade, fez dar projeção ao Candidato, ora liderando as pesquisas com cerca de 1/3 dos votos no Pais, folgado, à frente dos outros candidatos, retirando-o do semi-ostracismo, demonstrando à Sociedade brasileira, quem, realmente é radical, ou terrorista.

 

 

Partido criado no auge da Redemocratização no Brasil, justamente nos auspícios daquele que se tornou o seu maior nome, Luiz Inácio Lula da Silva, durante as Greves dos Metalúrgicos do ABCD, em 1979, ainda gozando de certa simpatia dos Intelectuais e Filósofos da época, o que lhe deu certa credibilidade, o PT se organizou ao redor dos Movimentos Sociais, Movimento dos Sem Terra, CUT-Sindicatos, cooptando-os, e assim prosperou, por vezes utilizando-se de técnicas próprias da Internacional Socialista, e dos Movimentos Revolucionários da América Latina, FARC`s e Contras, reivindicando também no Parlamento, por sua sigla Política, o PT, fazendo Greves, via CUT e ocupando terras, através do MST, à principio, legitimas, até que alcançou o Poder, com Lula, em 2002, quando tais Organismos, com o Governo Lula, passaram a ser fisiologistas, Paraestatais, ao melhor estilo dos Comitês Bolivarianos da Venezuela, a apoiar Maduro, e Massa de Manobra do Partido, vivendo de verbas carimbadas e do discurso Oficial, perdendo, no entanto, completamente, a sua legitimidade, criando Programas, até, sob o Ponto de Vista filosófico e institucional: corretos, “Minha Casa, Minha Vida”, “Prouni”, “FAT”, Empréstimo Consignado”, ao melhor Estilo Bolha, de que se benficiaram Bancos e Empresários, por detrás do discurso de Lula, para o Povo, embora Governando para si mesmo, e para os Bancos, mas que, logo descambaram, prepostos a serem, sem Cobertura Orçamentária que os suportasse, ao invés de um Cheque em Branco do Governo, um Cheque sem Fundos para o Povo, dando no que deu, demonstrou a Lava Jato: Corrupção generalizada e a cobrança da Comissão Partidária..

Novela cujo ultimo Capitulo, nos parece, será tramado no final, na iminência da Eleição, Urnas Eletrônicas, sem voto impresso, uma Incógnita, as digitais ainda não reveladas do Assassino, penso eu, assim que reveladas, darão ponto final as Eleições...

Quiça, até a própria Democracia, como a conhecemos no Brasil.

Alguém duvida ?

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadã”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC.