O BRASIL UNIDO EM PROJETO ESTRATÉGICO

 Por :  Profa. Guilhermina Coimbra

O Brasil não está dividido, “sorry, sorry”, observadores, espias, olheiros, espiãs e espiões - sistemáticos - de tudo o que ocorre no Brasil.

Nas próximas eleições, não há porque se preocupar com o fato de que a lista é de mais de 21 candidatos, representando todas as tendências políticas e ideológicas.                                                         

A lista de candidatos não é o indicador de um Brasil ultra dividido, assim, como, também, a lista de candidatos não é o indicador de um Brasil sem Projeto Estratégico claramente definido.

 

 

Não se iludam observadores, espias, olheiros, espiãs e espiões - sistemáticos - de tudo o que ocorre no Brasil.

 

Projeto Estratégico de Governo é um Projeto no qual o Governo planeja e executa com os meios disponíveis, ou, explora as condições favoráveis, visando, mirando e atentando para objetivos específicos.

                                                                                    

Por tal definição, pouca diferença faz quem será o próximo Presidente da República do Brasil.

 

O próximo Governo do Brasil assim como o atual Governo tem os seus planos estratégicos de Governo. Governantes do Brasil sabem bem o que o Brasil não quer, não admite, enfim, o que o Brasil abomina.

 

O futuro Presidente de um país como o Brasil sabe que entre todos os conhecimentos sobre o país que pretende governar, a geopolítica é um dos mais importantes.  

 

O futuro Presidente do Brasil terá que conviver com gente preparada, nada ingênua, bastante maliciosa, que, sem tergiversar, conhece bem o território brasileiro, quais são e onde se encontram as principais maiores riquezas estratégicas do Brasil – riquezas que, a eles, interessa negociar - e se possível - se apossar.

                                                             

Muito bom será que a população brasileira esteja cada vez mais bem informada – pelo próprio Governo - sobre a geografia e a geopolítica do país. A informação é necessária, tem que ser didática – mas, jamais “tatibitati”, porque a população brasileira é adulta, inteligente, indutiva, dedutiva, perceptiva e bastante maliciosa.

 

Uma população bem informada é a melhor defesa de Governo bem intencionado.

 

A população tem que estar atenta sobre os minérios estratégicos, porque todos eles são esgotáveis: urânio, tório, nióbio e outros.

 

Tais minérios são estratégicos porque são geradores de energia: a mola do mundo.

A luz da razão e do Direito as fontes geradoras de energia do Brasil - minérios estratégicos - são inegociáveis.

 

O futuro que a população  - nacionais e estrangeiros residentes no Brasil - quer para o Brasil, depende da garantia das fontes geradoras de energia esgotáveis, para uso e gozo desta e das futuras gerações de residentes no Brasil.

 

Garantidas as fontes geradoras de energia esgotáveis – hidrocarbonetos: petróleo, gás; e nucleares: urânio, tório, nióbio e outros - os residentes no Brasil querem exatamente o mesmo que todos os povos exigem de seus respectivos Governos, ao redor do mundo: não à corrupção, moralização dos Poderes Legislativos, fim dos políticos profissionais e – a retomada dos investimentos!.

 

A retomada dos investimentos urge porque a população do Brasil assim o exige, imputando a violência imperante no país ao desemprego causado pelo descaso e indiferença dos Governos  - nas três esferas da Administração Pública – em alavancar e incentivar os investimentos.

                

O Brasil merece respeito.

* Currículo Lattes.