O TRATADO DE NÃO-PROLIFERAÇÃO DE CONCORRENTES COMERCIAIS NO COMÉRCIO DO SÉCULO: O TNPC

Por : Profa. Guilhermina Coimbra.

O Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares", o TNP, deve e tem que ser conhecido como  o Tratado de Não-Proliferação de Concorrentes, o TNPC na área dos Bens e Serviços Originados dos Usos Pacíficos da Energia Nuclear.

O TNP é verdadeiramente um TNPC - e como tal, deve ser denunciado e rechaçado.

Governo de país desenvolvido, possuidor de territórios férteis de minérios nucleares – urânio, o combustível do Século, o principal entre eles – mantém depósitos desse tipo de minério gerador de energia e costumam exercer o mau hábito e péssimo costume de esgotarem os territórios alheios.

 

O Brasil, há muitos anos, tem sido a “bola da vez”, á custa do que pensam ser a ignorância da população brasileira.

 

Fazer entender aos interessados que no Brasil, a população brasileira amiga e bem humorada não é nem nunca foi ingênua.

E nem é questão de inteligência, é questão de bom senso porque trata-se da sobrevivência de mais de duzentos milhões de habitantes no território brasileiro.

 

Se a população brasileira não ficar atenta - como de hábito e mau costume - dentro do Brasil, os espertos amiguinhos dos amigos de fora do Brasil interessados nos minérios nucleares que jazem no território brasileiro - vão tentar fazer ótimos negócios para eles próprios, em detrimento e com prejuízo inestimável, para a população brasileira.

 

Minérios nucleares são esgotáveis. Há que se utilizá-los em benefício desta geração sem esgotá-los,  reservando-se, também, criteriosamente para uso das futuras gerações de residentes no Brasil.

 

No Brasil, costuma-se dizer que os ingênuos há muito já nasceram mortos.

 

Toda a atenção é preciso assim como rechaçar os argumentos maliciosos, segundo o qual, o Brasil tem muitas fontes geradoras de energia e com esse potencial energético, pode dispensar a utilização em benefício próprio dos minérios nucleares.

Isto, porque, minérios nucleares são esgotáveis e o Brasil – com mais de duzentos milhões de habitantes - vai precisar, em ordem geometricamente crescente, de todas as suas fontes geradoras de energia: hidráulica, solar, eólica – e principal e  logicamente, a nuclear.

 

Logicamente, porque:

 

- os minérios nucleares são esgotáveis e se o Brasil não os explorar - reservando para uso desta e das gerações futuras de residentes no Brasil, os minérios nucleares - tais minérios serão explorados (como já estão sendo explorados) até o seu esgotamento pelos residentes de fora do Brasil;

- a energia nuclear é energia limpa, não poluidora;

- a energia nuclear é portátil: as usinas nucleares podem ser instaladas onde quer que se façam necessárias;

- há dezenas de anos - desde os governos integrados pelos militares e civis, inclusive integrado pelo Vice- Presidente Marcos Maciel – a idéia de energizar nuclearmente o Nordeste do Brasil vem sendo pensada;

- até os dias atuais, não se escutou nada de positivo a respeito de se energizar nuclearmente as Regiões carentes do Brasil;

- pesquisar e investigar, a quem interessa o conluio do silêncio sobre os usos pacíficos da energia nuclear  é mais do que necessário;

- pesquisar e investigar  - aqueles que estão ganhando muito, para permitirem que os amiguinhos, de fora do Brasil, importem, do Brasil, os minério nucleares in natura, todos esgotáveis - a custa da manutenção da ignorância da população brasileira é dever do Poder Judiciário Federal e da PF;

- atualmente, toda a Região Sudeste do Brasil é abastecida pela energia elétrica gerada nas, até o momento, três usinas nucleares em operação de Angra do Reis, Estado do Rio de Janeiro.

 

Os políticos brasileiros – demonstram uma carência saber ilimitada, quando se trata de expor objetivos concretos para energizar um país continental como o Brasil.

 

“Pobrecitos niños del Congreso de Brasil”, “poor Brazil boys in the Brazil Congress” - são os epítetos que os qualificam, fora do Brasil.

 

Trata-se de energia, Senhores Congressistas do Brasil: estudem, pesquise e mostrem – conhecimento sobre a área.

 

Aos ignorantes – ou seja, aos ausentes de saber por falta de informação - que se dizem “contra a utilização da energia nuclear” aconselha-se: apagarem as luzes, desligarem os interruptores, aparelhos elétricos, fecharem as indústrias, comércio e etcs.,  e etcs., porque a energia nuclear é a abastecedora de toda a Região Sudeste do Brasil.

 

Mas, ainda, é muito pouco, para o Brasil zão.

 

A pergunta que não quer calar que os brasileiros se fazem é:

 

- estão esperando o que para colocarem a energia nuclear em todas as Regiões do Brasil, nas quais se fizer necessário?

 

E os próprios brasileiros respondem:

 

- vai ver estão esperando se locupletarem ao máximo possível com o que pensam ser a ignorância da população brasileira sobre o esgotamento das fontes geradoras de energia nuclear.

 

Os mentores do TNP/ Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares estão pouco se importando com a proliferação ou não de armas nucleares. Até e porque, os respectivos governos deles são todos belicistas, e com diversificadas “justificativas”(???!!!) invasores de territórios alheios e etcs., etcs..

 

O objetivo verdadeiro do TNP/ Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares é assegurar que as fontes de minérios nucleares geradoras de energia nuclear que jazem no Brasil – sejam:

 

- abastecedoras de minérios nucleares in natura - das usinas nucleares geradoras de energia elétrica barata, econômica, segura e portátil, mantenedoras da energia econômica e segura que abastece o mundo super-desenvolvido;

- reserva de mercado para o mundo desenvolvido movido e aquecido pela energia nuclear, gerada dos minérios nucleares oriundos do Brasil;

- que, os contribuintes brasileiros sejam os clientes importadores ad eterno da  tecnologia e dos minérios in natura importados do Brasil - tecnologicamente transformados em energia por eles.

 

São muitos os brasileiros honestos e esclarecidos observando, podem conluiar a vontade.

 

O Brasil merece respeito.

 

*Currículo Lattes.