DECODIFICANDO E SINTETIZANDO A HISTÓRIA DO BRASIL E OS PARTIDOS POLÍTICOS.

Por : Profa. Guilhermina Coimbra.

Pois é. A História á a mãe de todas as verdades. Com a História não dá para tergiversar.

A História do Brasil a partir de 1985 - para  ser bem lembrada pela população brasileira  - e para ser muito bem contada para os estudantes brasileiros  - deve se reportar, também, à participação dos Partidos Políticos brasileiros, nas grandes questões de interesse da população brasileira – nacionais e estrangeiros, residentes no Brasil.

 

 

Em 1985, lembramos que o Partido dos trabalhadores era contra a eleição de Tancredo Neves, expulsando do referido Partido os Deputados que votaram em Tancredo.

 

Em 1988, lembramos que o partido dos trabalhadores votou contra a Nova Constituição da República do Brasil – aquela que mudou o rumo do Brasil; em 1989, o partido dos trabalhadores defende o não-pagamento da dívida brasileira.

O não-pagamento da dívida brasileira somente não transformou o Brasil em um “caloteiro” mundial – porque, os credores, ao se arriscarem a emprestar,  haviam cobrado “spreads”altíssimos.

Os “spreads” são as taxas de risco.

Ao cobrarem os “spreads”, os credores não se arriscaram ao não-pagamento pelo Brasil, do dinheiro emprestado.  Se ressarciram antes. Se precaveram contra o que, esperavam, pudesse vir a ser o calote do Brasil.

 

Em 1993, o partido dos trabalhadores foi contra e não participou de um governo de coalizão - convite de participação pelo bem do Brasil do Presidente de então.

Em 1994, o referido partido considerou medida eleitoreira e votou contra o Plano Real; em 1996 o partido dos trabalhadores votou contra a reeleição.

Em 1998 o partido do qual se trata votou contra a privatização da telefonia; em 1999, o referido partido vota contra a adoção do câmbio flutuante e contra a adoção das metas de inflação; em 2000, luta ferozmente contra a criação da Lei da Responsabilidade Fiscal, que obriga os governantes a gastarem apenas o que arrecadarem; em 2001, vota contra a criação dos Programas Sociais do Governo de então: Bolsa Escola, Vale Alimentação, Vale Gás etc., classificando-as como esmolas eleitoreiras. (In: site da Câmara do Deputados e site do Senado Federal).

 

De se observar que, como  quase toda a infra estrutura do Brasil foi construída nos períodos relatados, o Partido do qual se trata trabalhou contra todas as medidas que pudessem vir a significar desenvolvimento para o Brasil.

 

É de se observar que o comportamento dos demais Partidos Políticos no Brasil – também – têm deixado bastante  a desejar. São omissos quanto à defesa dos interesses dos residentes no Brasil.

 

Lembrando, os interesses poderosos não admitem ver no Brasil, um “Japão, na América do Sul”, odeiam ter o Brasil como concorrente e querem o Brasil desarmado, há que se observar e rechaçar veementemente todas as propostas expressas ou implícitas – por todo e qualquer representante de Partido Político brasileiro - efetuadas com o objetivo de paralisar  o desenvolvimento do Brasil.

 

A população brasileira quer viver no Brasil.

Fora do Brasil o entendimento sobre imigrantes  é bem diferente do acolhimento e entendimento da população brasileira.

Viver, fora do Brasil, atualmente, nem com muito dinheiro é recomendável.

 

Face a fatos ocorridos e noticiados diariamente – com muito humor - os brasileiros não recomendam – tentar viver fora do território brasileiro.

 

A população brasileira é bem humorada e amiga.

 

O Brasil merece respeito.

  • Curriculo Lattes; Pesquisadora CNPq, CAPES, FGV-Rio