DECODIFICANDO AS DOUTRINAS, IDEOLOGIAS E FILOSOFIAS

Por : Profa. Guilhermina Coimbra

..."Certos homens odeiam a verdade, por amor daquilo que eles tomaram por verdadeiro!". (Santo Agostinho, Confissões, Livro X, Cap. XXIII).

..."Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso". (Edward Everett Hale, Clérico e Escritor norte-americano, 1823-1909).
"Minério gerador de energia é pop, minério gerador de energia é auto-suficiência, minério gerador de energia é riqueza, minério gerador de energia é independência, minério gerador de energia é tudo". (Livremente inspirado na propaganda do Agro Negócio).

 

Decodificar o discurso significa trabalhar em benefício de todos, tentando fazer compreender os discursos competentes de autoridades nacionais, internacionais e da mídia desinformada - na melhor das hipóteses. Significa tentar esclarecer em linguagem didática e significa fornecer argumentos para que, devidamente esclarecida, a população possa mudar o curso das políticas que os "discursantes" pretendem para o Brasil: os contribuintes de fato e de direito de todos os investimentos efetuados no país.

Desse modo, há que se repudiar, inteligentemente, todas as ideologias, filosofias e doutrinas alienígenas cujo objetivo seja o de criar as melhores condições para perpetuar no Brasil a condição de satélite, eternamente dependente econômica e politicamente de interesses que, absolutamente não são os interesses da população brasileira.

Há que se entender que tais ideologias, filosofias e doutrinas alienígenas foram concebidas em territórios com características e contextos completamente diferentes do contexto brasileiro.

Os países dos ideólogos, filósofos e doutrinadores, jamais sofreram o tipo de pressão externa sequer parecida com as pressões que o Brasil, aberto e inclusivo, vem sofrendo.

Os objetivos, decodificados e rechaçados, são o de obter a hegemonia na sociedade civil e política (Estado: população, território e poder político); estabelecer o domínio do intelectual coletivo; silenciar os intelectuais brasileiros independentes; e impedir a população brasileira de pensar o seu próprio melhor.  

A metodologia aplicada tem sido a de realizar a transformação intelectual e moral da população brasileira - de modo progressivo e contínuo, introduzindo novos conceitos que, absorvidos pelos cidadãos criam o "senso comum  modificado", o abandono de suas tradições, usos, costumes e  valores culturais gerando uma consciência homogênea construída com sutileza e sem visível conteúdo ideológico - porque, aparentemente, está buscando a identificação com os anseios e necessidades da população, ainda, não atendidas, pelo dever de ofício do Poder Público brasileiro.

O desejo de mudança, dos pensadores, doutrinadores e filósofos alienígenas têm sido  adotados pelos que, no Brasil, temendo o rótulo  de retrógrados, ou, alienados, se submetem,  calando a voz de divergência existente dentro de si e se deixando vencer pelo "senso comum modificado", suprimida a capacidade de reação individual e coletiva.

Nesse momento, está construída a base para a aplicação na prática – e não mais no plano teórico, filosófico e ideólogo – da satisfação dos interesses doutrinados pelos interessados.

Este pensamento discursivo alienígena - está sendo aplicado de forma codificada, dissimulada e disfarçada pela "ideologia da democracia", tornando difícil, mas, não impossível, a sua decodificação.

São muitos os ensinamentos "filosóficos, doutrinários e ideológicos" alienígenas que estão sendo incutidos, no seio da população brasileira,  de modo a atuar em benefícios dos interesses de fora  e contra os interesses dos que residem no Brasil.

Pesquisamos e arrolamos alguns:

Quanto aos Partidos Políticos: estimular o número elevado de partidos para enfraquecer a oposição e facilitar a tática de " aliança", favorecendo o "partido classe" (entendido Partido-Classe, como Partido Político, representativo de classes): manter a regionalização dos Partidos; o controle por caciques ou oligarquias regionais afeta a unidade nacional, favorecendo o enfraquecimento dos partidos políticos de oposição e favorecendo o "partido classe", que possui "unidade de comando"; admitir a pluralidade do partidos de classe  para ser bem explorada pelo "partido classe preferencial" por tempo determinado; esvaziar as poucas lideranças da oposição através de patrulhamento e ataque (dossiês etc.) direto ou indireto (nepotismo etc.); criar fatos novos para o esquecimento das mazelas de militantes do "partido classe" e aliados; afastar ou mudar de cargo o militante com erro focado pela mídia de oposição, para a sua proteção e do "partido classe"; usar a "mídia da situação" para silenciar as mazelas dos militantes do "partido classe"; infiltrar militantes nos outros partidos para obter o seu controle e esvaziar os líderes de oposição, os neutros e os que não são adeptos do "partido classe".

Quanto ao Poder Executivo: criar aparelhos governamentais de coerção; distribuir cargos em órgãos e empresas públicas para militantes do Partido-classe e  seus aliados, em todos os níveis da administração (federal, estadual e municipal, de modo a "aparelhar" o Estado de acordo com os interesses das "doutrinas", "filosofia"s e "ideologias" alienígenas); criar uma estrutura policial que possa ser transformada em Guarda Nacional ou Guarda Pessoal ou em Polícia Política para emprego imediato, quando chegar o momento oportuno; ampliar o "curral eleitoral" usando o assistencialismo como fim e não como meio, mantendo o benefício por tempo indeterminado; manter o "curral eleitoral" através de um sistema de ensino, controlando o baixo nível de aprendizagem e desenvolvimento da inteligência; silenciar a imprensa através de emprego da verba pública destinada à propaganda, mantendo a população  sem informação correta; neutralizar políticos de oposição e aliados através de distribuição de dinheiro, cargo público ou qualquer outro tipo de benefício pessoal ou familiar; facilitar a penetração cultural e a projeção dos intelectuais orgânicos; denegrir heróis nacionais; enaltecer militantes de "ideologias, filosofias e doutrinas" alienígenas; desmerecer fatos e vultos marcantes da História Nacional; impedir o desenvolvimento da Consciência Nacional brasileira; entorpecer a Vontade Nacional brasileira; eliminar valores do processo histórico-cultural nacional; mudar usos e costumes brasileiros; enfraquecer o moral nacional brasileiro; mudar  traços  da identidade nacional; mudar valores e princípios ético-morais; enfraquecer a família; enfraquecer a coesão-nacional; lançar a discórdia no seio da população; desviar o foco dos debates em torno de questões relevantes em áreas estratégicas (saúde, educação, infra-estrutura, segurança, defesa, mineração, etc), isentando o Governo de responsabilidade pelas deficiências e vulnerabilidades; tentar estabelecer um poder paralelo ao do Estado (Conselho de Política Externa, Comissão de Direitos Humanos, e similares); patrocinar as ONGs com o dinheiro público e estimular outras para atuarem na sociedade civil, apoiando direta ou indiretamente a luta pela sua hegemonia, de acordo com os ensinamentos doutrinários, filosóficos e ideólogos alienígena.  

Quanto ao Poder Legislativo: eleger militantes do Partido-Classe  que adotar a ideologia dos filósofos, ideólogos, doutrinadores e filósofos alienígenas, escritos em épocas, circunstâncias  e em espaços físicos geográficos completamente distintos do Brasil atual: unir  temporariamente os partidos de mesma ideologia; fazer alianças com partidos de ideologia oposta; desmoralizar o Legislativo,  mantendo privilégios,  barganhas e a falta de espírito público; criar leis para dar o respaldo  às mudanças de usos, costumes e valores da nacionalidade brasileira; obter o controle do Legislativo para conquistar o domínio da sociedade política ( Estado), através do Partido-Classe; enfraquecer o Legislativo como fiscal do Executivo; submeter o Estado ao controle do Partido-Classe.

Quanto ao Poder Judiciário: estimular a adoção da ideologia dos filósofos, ideólogos, doutrinadores e filósofos alienígenas, todos escritos em épocas, circunstâncias  e em espaços físicos geográficos completamente distintos dos países da América do Sul

Quanto ao Poder Judiciário no Brasil atual: retardar ou impedir a modernização da estrutura do Judiciário; retardar ou impedir o aperfeiçoamento do funcionamento do Judiciário; estimular o corporativismo extremado na Magistratura; manter os Magistrados afastados do povo e das suas necessidades; difundir na sociedade civil as idéias de parcialidade, ineficiência e improbidade do Judiciário, desmoralizando-o; desacreditar o Judiciário perante as classes subalternas, explorando a lentidão funcional e a corrupção e privilégios dos magistrados  como funcionários públicos; aparelhar o judiciário.

Quanto ao Ensino: usar as universidades como refúgio "ideológico" de doutrina estrangeira alheiada dos interesses dos que residem na América do Sul; buscar a hegemonia da intelectualidade que adotar a ideologia, doutrina e a filosofia alienígenas; construir nova massa de manobra, usando as universidades, a mídia e as editoras; criar a geração revolucionaria ensinada pelos doutrinadores, filósofos e ideólogos alienígenas nas escolas do ensino médio; Usar professores da nova massa de manobra no ensino básico (fundamental e médio); fortalecer o controle do sistema de ensino que não ensina a pensar; apagar   a  memória dos povos reescrevendo a História do Brasil para fatos e vultos nacionais irrelevantes; mudar valores e princípios ético-morais; enfraquecer as vontades nacionais; transformar as consciências nacionais em consciência do partido político da vez; controlar escolas e universidades particulares através de sindicatos e com uma reforma universitária.   

Quanto às Forças Armadas: enfraquecer a credibilidade e a confiança da população nas Forças Armadas; enfraquecer a união dos militares, afastando os militares da ativa dos militares inativos; enfraquecer o "espírito de corpo", separando os oficiais generais da tropa; introduzir, a curto prazo, o uso de drogas entre os militares; criar o ambiente em que os oficiais terão apenas a visão da expressão militar e não de todo o poder nacional; enfraquecer o "espírito combativo", de fundamental importância no confronto bélico;  preparar, a longo prazo, as gerações de chefes militares que servirão ao Governo, e não à população do Estado, modificando a grade curricular das escolas de formação  e desestimulando profissionalmente os militares que servem à pátria e não ao Governo. (In Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra de Manaus/ADESGAM, Manaus, Amazonas, Brasil).

Há que se decodificar estas doutrinas, filosofias, ideologias e as técnicas para a sua aplicação - com uma análise paciente e detalhada da conjuntura do Brasil.

A decisão sobre o que e como fazer tem que ser e será sempre dos residentes no território do Brasil. 

O Brasil não se confunde com seus Governos – quaisquer que sejam os Partidos Políticos, as ideologias, filosofias etc., de qualquer um deles.

O Brasil somos nós - os residentes no território brasileiro.

O Brasil pensa.

A população brasileira existe.

E pensa cada um de seus respectivos Estados-membros, como um só Brasil.

A população brasileira sempre tem percebido e rechaçado pensamentos, idéias e ideologias importadas inadequadas, às suas próprias características.

Percebe que tais ideologias, pensamentos e idéias, somente atendem interesses políticos e de concorrentes comerciais internacionais – por tentar impedir, ou, dificultar, o desenvolvimento econômico e social dentro do Brasil.

A percepção brasileira nem é mais questão de inteligência porque é questão de sobrevivência.

Os exemplos históricos recentes não recomendam a alienação.

Os nacionais e estrangeiros residentes no Brasil – amigos e inclusivos –repudiam o desrespeito à inteligência da população brasileira. 

Fora ideologias, filosofias e doutrinas alienígenas – escritas e aplicadas em territórios e contextos completamente diferentes do território e do contexto brasileiro.

O Brasil merece respeito.

OBS.: Pesquisa inspirada em partes de trabalho realizado pelos Estagiários da ADESGAM, Amazonas, Brasil.

 * Profa. UFRRJ; Currículo Lattes; Pesquisadora CNPq, CAPES, FGV-RJ, FAPERJ.