OPERAÇÃO CARNE FRACA : “ ENTRE A PODRIDÃO DA CARNE & OS PODRES PODERES...”

Por : Pettersen Filho

Origem de todos os males, o Capitalismo, em si, não que o Socialismo também não tenha mazelas, em seu aspecto mais grotesco, a Concentração Econômica, havida na formação de Oligopólios, e Trustes Econômicos, gerando a Concentração de Mercado, inibindo a Concorrência, e Cooptando as Autoridades, que geralmente  se submetem ao seu Poder Político, tem na Corrupção o seu mais requintado Rosto, como foi o que demonstrou, recentemente, a “Operação Carne Fraca”, da Polícia Federal brasileira, ao debelar um Bando de Fiscais e Frigoríficos Corruptos, que vinham fraudando, e envenenando a carne Brasileira, diga-se de passagem, das melhores do Mundo, exportada aos Cinco Continentes.

 

 

Quando, anos atrás, surgiram as primeiras notícias, de União da Brahma, com a Antarctica e a Skol, que disputavam, metro a metro o Mercado brasileiro, formando a Ambev, tal qual, noticiaram a compra da Chocolates garoto, genuinamente nacional, embora sendo da família Myerfreud, oriunda da Alemanha, fortemente instalada no Mercado Nacional, e no Mundo, bem como foi o caso da União entre Perdigão & Sadia, concorrentes no Mercado de carnes brasileiro, formando a BRF, de nome pomposo “Brazil Food”, flagrada na Operação, tudo diante dos olhos complacentes do CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, justamente o Órgão criado para combater Trustes, e assegurar a Concorrência no Mercado, fui terminantemente contra.

Esquemas, Uniões, que envolvem personagens tão improváveis, como foi o caso da Nestlé, que diante da resistência inicial do CADE, chamou o Cantor Roberto Carlos para distribuir Calhambeques, Bí-bí, e cantar de graça em Praça Pública, como temos hoje, o próprio Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, ele mesmo, ninguém menos do que o “Rei da Soja” brasileiro, por pelo menos duas vezes Governador de Estado, das maiores potencias do Agronegócio Tupiniquim, portanto Corporativo, quem tem todo interesse de ridicularizar a Ação da Federal, sendo ele, somado a um ou dois outros Coronéis Modernos Cibernéticos Atômicos, representantes da Agricultura e Pecuária, “Modelo Exportação”, dos quais a Soja, a Carne e o Frango são “Mercadorias”, normalmente não acessíveis em quantidade, e qualidade, na mesa do brasileiro comum, em nome da Sacro Santa “Exportação”, para arrecadar divisas, e financiar o esquálido Estado brasileiro, porquanto a fome bate à porta de muitos lares, podemos citar Katia Abreu e Ronaldo Caiado, todos latifundiários, e não um representante, por exemplo, da Agricultura Familiar, de subsistência, quem realmente produz o Feijão e a Mandioca, essencial à População, o atual Modelo Exportacionista brasileiro, se não é condenável, montado em moldes que visam abastecer o Mundo, enquanto a sua População mingua, é pelo menos, censurável.

 

Então gente, cadê o CADE, para não acabar com essa festa, e devolver ao Mercado a sua legitima obrigação, da Lei da Oferta e da Procura ?

 

... e tome-lhe Churrasco!!! 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.