ELES NÃO USAM MAIS BLACK-TIE

Por : Juarez Cruz

Definitivamente o Brasil esta mudando. Possivelmente para melhor. Há alguns anos atrás, ajustiça parecia que só tinha olhos(embora ela sempre pareceu cega) para condenar os ladrões de galinha, fumantes de baseados e batedores de carteiras de terceira categoria. Eles eram os moradores da periferia, pobres e pretos.

Nos últimos anos, mais precisamente a partir de cerca de cinco anos atrás, ajustiça passou por um tratamento oftalmológico e passou a enxergar criminosos de primeira categoria, os batedores de carteira dos cofres públicos dos governos municipais, estaduais, federal e de estatais brasileira. Estes criminosos estão sendo presos aos montes e são tantos que já esta havendo um congestionando no sistema penal brasileiro para abrigar os apenados políticos e empresários nas cadeias públicas do país.

 

Quem poderia imaginar ha alguns anos atrás, ver empresários como Marcelo Bahia Odebrecht, Presidente da Odebrecht, um dos maiores empreiteiras do Brasil, acusado de comandar esquema de fraudes na Petrobras; assim como seu colega também empresário Dário de Queiroz Galvão Filho, diretor-presidente do conselho de administração do Grupo Queiroz Galvão, acusado mandante de crimes de lavagem de dinheiro e corrupção ocorridos na empresa e da prisão de Ricardo Pessoa também apontado como um dos líderes do grupo de empresas envolvidas nas fraudes da Petrobras. Estes e mais quase quatro dezenas de outros empresários e políticos faram ou estão presos acusados de participarem de uma quadrilha que tomaram de assaltos os cofres da Petrobras e do Estado brasileiro.

Mais recentemente a Polícia Federal prendeu o ex-deputado Eduardo Cunha(PMDB) e o ex-governador Sérgio Cabral(PMDB), ambos acusados de receber dinheiro de corrupção e outras coisas mais. E esta semana, dia 30 de janeiro, foi a vez do empresário Eike Batista. Sua prisão foi decretada no dia 26/01, quinta feira, pelo desdobramento da Operação Lava Jato por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Ironicamente Eike foi delatado pelo seu astrólogo e economista Renato Cleber e de seu irmão, Marcelo, que por mais de uma década ocultaram no exterior a suposta propina recebida pelo ex-governador, incluindo os US$ 16,5 milhões pagos por Eike Batista. Eike é devoto assumido da astrologia e em 2013, em uma entrevista ao “Wall Street Journal” ele atribuiu sua derrocada nos negócios as péssimas condições astrais. 

Arrogante e adorado por um monte de empresários e políticos igualmente corruptos, ele já foi considerado a sétima pessoa mais rica do mundo pela revista Forbes. Em dezembro de 2007, bancou uma festa para exibir a compra de um iate no valor de R$ 35 milhões, de quatro andares e 300 pés, para uma elite que usa black-tie nas noites festivas em restaurantes caros do Rio de Janeiro. Nesta festa estavam políticos e convidados VIP brandindo garrafas de “espumantes rosé” de um litro e meio, segundo jornal “O Globo”. Dentre os convidados estavam, além do governador, a época, Sérgio Cabral, que segundo Eike era o “governador que dava tanto orgulho ao povo carioca”, também estavam presentes o prefeito Eduardo Paes(PMDB), representantes da alta sociedade e famosos, dentre eles, os apresentadores Amaury Jr. e Luciano Huck que, inebriado com a presença de celebridades na festa e parecendo querer fazer média com o homem mais rico do Brasil, saiu com essa pérola sobre o anfitrião: “Eike tem o dom de subverter a ordem de tudo”.

Luciano Huck estava certo e sem querer profetizou sobre uma qualidade que Eike não sabia possuir. Ele tinha tanto dom de subverter a ordem de tudo que conseguiu sair do rol dos homens mais ricos do planeta para entrar no rol dos mais corruptos do Brasil, virar bandido, ser preso e integrar a estatística da população carcerária do país, onde lá ele não mais usará black-tie e nem beberá mais espumantes rosé. Na prisão, onde ele verá o sol nascer quadrado, ele fará companhia a 427 detentos e usará a roupa que todo criminoso usa, com um numero de inscrição dos prisioneiros da Bangu-9, com direito a uma cela de 15 metros quadrados, um beliche de cimento e, para fazer cocô, um buraco no chão, chamado de “boi”, que serve como sanitário. Para o banho tem um cano na parede que só sai água fria. Com a opção de, se não gostar de água fria, ficar sem tomar o banho.

Eike, bem vindo ao mundo dos mortais, bem vindo ao mundo que você jamais imaginaria conhecer que é o mundo dos despossuídos; o mundo das pessoas que não tiveram acessos aos benesses proporcionados por uma estrutura social dominada por pessoas como você.  Neste novo mundo você vai conhecer pessoas que nunca tiveram as mesmas chances e oportunidades que você teve. Eles são os excluídos e punidos pela sociedade que você fazia parte e ajudou a construir; são pessoas sem um horizonte, sem norte, sem direito aos privilégios que você sempre teve e não soube aproveitar. Eles são à parte do tecido social que ninguém quer ver e que os poderes públicos: executivos, legislativos, judiciários e a elite de nosso país não querem enxergar, muito menos se preocupar.

Os criminosos da Bangu-9 lhe dão as boas vindas e estão a sua espera para que você possa usufruir, junto com eles, do conforto que você até então não conhecia e que certamente vai odiar para o resto de sua vida. Com certeza esta será mais uma experiência inesquecível para você, só que diferente das muitas que você já teve em sua vida. Espero que prenda com ela e subverta esta nova ordem, mas, antes, se lembre de devolver o travesseiro que você levou da aeronave, quando desembarcou vindo de Nova York, se quiser que a porta do céu abra quando você partir desta para outra vida.

 

 

Juarez Cruz

Escritor e Colunista

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Salvador-BA