MINISTRA HOMOLOGA DELAÇÕES : “À QUEM INTERESSA O SIGILO DE JUSTIÇA ?”

Por : Pettersen Filho

Mostrando certa pressa prudente, a Ministra Presidente do STF – Supremo Tribunal Federal, Carmem Lúcia, honrando a memória do Ministro Teori, morto em possível desastre aéreo, incumbido de homologar as 77 delações premiadas da Odebrecht, até a queda nefasta do seu avião, trabalhando em plenas férias forenses, acaba de homologar os cerca de 800 depoimentos dos executivos da Empresa, já chamados de “Delação do Fim do Mundo”, supostamente trazendo a baila os nomes, e condutas, de pelo menos duzentos Políticos, Governantes e Autoridades da República, profundamente envolvidos em corruptelas e negociatas, nada republicanas, contudo, determinando o Segredo de Justiça de tal documentação, rapidamente enviadas a PGR, Procuradoria Geral da República, para possível Denúncia Crime.

 

Situação inusitada, quase exceção, o Segredo de Justiça contraria, no entanto, o próprio principio, e origem da Justiça, desde a idade antiga, na velha Grécia, quando os julgamentos eram dados em Praça Pública, não só para que demonstrassem a Autoridade do Estado, cujo Juiz era, no mais das vezes, o próprio Monarca de Plantão, para que o Povo observasse a sua aplicação, como sendo, efetivamente, Justiça, em que o Réu recebia ali a Sentença, e onde era lhe imposto o Castigo, para que fosse exemplo, ou não-exemplo, a sua conduta delituosa, prestando-se a Educar a própria Sociedade, geralmente chibatadas ou enforcamento, dai o nome Justiça Pública.

O maior dos exemplos, talvez, esteja na própria Bíblia Sagrada, onde Jesus Cristo foi julgado por Poncio Pilatus, ou Tiradentes, enforcado e esquartejado, cada membro enviado para uma Provincia do Império, tendo sua casa incendiada, e o solo salgado, para que nada mais nascesse lá.

É esse, invariavelmente o caminho da Justiça, Pública, Impessoal, Transparente, em que o Estado acusa, o Advogado defende, e o Juiz, condena, ou absolve, após o devido processamento legal e a ampla defesa.

No caso em questão, em que vários são os envolvidos, dizem as mas línguas, que alguns deles verdadeiros Cardeais da Vida Pública nacional, a quem, então, interessa tal Segredo de Justiça ?

É a pergunta que não quer calar !

 

Leia também: http://www.abdic.org.br/index.php/1565-teoria-da-conspiracao-morre-zavascki-teori

Crônica postada originalmente em www.paralerepensar.com.br

 

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadão”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC.