TRIBUNAL EUROPEU DE OLHOS VENDADOS PELO VÉU ISLÂMICO

Por : António Justo

Empresas poderão proibir o uso de símbolos religiosos, políticos ou filosóficos:

O Tribunal Europeu de Justiça, por decisão incontestável de 14.04.2017, deixa à discrição das empresas a decisão de proibir ou não o uso do lenço islâmico no trabalho, sob determinadas condições. Para os 28 juízes do tribunal europeu, os interesses da economia têm caracter prioritário em relação à confissão religiosa ou partidária; as empresas podem proibir o uso de símbolos religiosos, políticos ou filosóficos aos funcionários, no caso de estes se tornarem perturbadores do negócio no contacto com os clientes.

Leia mais...

OPERAÇÃO CARNE FRACA : “ ENTRE A PODRIDÃO DA CARNE & OS PODRES PODERES...”

Por : Pettersen Filho

Origem de todos os males, o Capitalismo, em si, não que o Socialismo também não tenha mazelas, em seu aspecto mais grotesco, a Concentração Econômica, havida na formação de Oligopólios, e Trustes Econômicos, gerando a Concentração de Mercado, inibindo a Concorrência, e Cooptando as Autoridades, que geralmente  se submetem ao seu Poder Político, tem na Corrupção o seu mais requintado Rosto, como foi o que demonstrou, recentemente, a “Operação Carne Fraca”, da Polícia Federal brasileira, ao debelar um Bando de Fiscais e Frigoríficos Corruptos, que vinham fraudando, e envenenando a carne Brasileira, diga-se de passagem, das melhores do Mundo, exportada aos Cinco Continentes.

Leia mais...

O CRIME DE LESA PÁTRIA E A AUSÊNCIA DE SABER POR FALTA DE INFORMAÇÃO.

  Por : Profa. Guilhermina Coimbra.

Lesar significa ofender, ferir direito, causar prejuízo, prejudicar.

Com esse entendimento verifica-se que, no Brasil, os contribuintes de fato – aqueles que pagam tributos sem perceber – e os contribuintes de direito – aqueles que são obrigados por lei a pagar tributo – estão sendo lesados, ofendidos e prejudicados pelo governo brasileiro, em todas as frentes da economia brasileira.

Vejamos porque:

Leia mais...

COMO OS CANALHAS FRAUDAM A DEMOCRACIA

Por : Percival Puggina

          A tentativa de instituir o voto em lista fechada é a manobra mais descarada desde o início das operações da Lava Jato. Supera, em despudor, a missão do "Bessias" levando a Lula o ato que o homiziaria no ministério  de Dilma. É mais desavergonhada do que a "anistia do caixa 2". A democracia dos canalhas alcança seu apogeu com algo tão indecente na motivação, tão contra a democracia na concepção e tão escancaradamente desonesto que estará coberto de razão o cidadão que registrar, na polícia, um boletim de ocorrência.

Leia mais...

A PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA E AS ELEIÇÕES DE 2018

Por :    Profa. Guilhermina Coimbra

A atenta população brasileira já percebeu.

Essa  operação “lava no tanque de lavar”, “lava na máquina de lavar” ou “lava jato” nada mais é do que uma tática – ou será estratégia? – objetivando eleger determinados candidatos  - super apoiados pelos interesses de fora do Brasil, dentro do Brasil.

Dos oito potenciais candidatos cinco já foram indiciados.

A população percebe o indiciamento desses cinco candidatos como uma tentativa – fajuta - de exibir isenção política.

Leia mais...

BRASIL : “A REPÚBLICA DA ODEBRECHT...”

Pettersen Filho

Preocupação que sempre esteve no centro das atenções, diante dos legisladores constituintes, desde as Monarquias Absolutistas da Idade Média, até a concepção da República, a separação da Igreja, diante do Estado, a fim de conceber um Estado laico, impermeável a credos religiosos, sempre foi a tônica, não deixando, também de ser, na relação Governo x Povo, o Poder Econômico outra vertente a ser disciplinada, essa contudo, menos detectável, normalmente, desde o sempre, sendo esse item determinante na gestão da democracia, fato relevante, podemos destacar, o Histórico “Voto de Cabresto”, em que eram o Coronéis, no Brasil, quem determinavam os Eleitos, até formas, hoje, mais sofisticadas, como é ultimamente o Bolsa Família, mecanismo menos aparente, mas, igualmente, influenciador do Voto Popular.

Leia mais...

SOBRE O SARAU DE POESIA INCONFIDENTE MINEIRO...

Por : Pettersen Filho

O Sarau de Poesia Inconfidente Mineiro, já há quase dois anos ocorrendo em Belo Horizonte, primeiro no “Bar du João”, em 2015 e 16, e desde Março de 2017, quando passou a ser realizado no próprio Salão de Festas do Cerimonial de mesmo nome, “Inconfidente Mineiro”, ganhou privacidade, ou seja, passou a ser evento exclusivo, à todo Primeiro Domingo do mês, ao contrário do que ocorria no disputadíssimo “Bar du João”, em que dividia espaço com os frequentadores, nem sempre interessados no evento, e na necessária calma, e silêncio participativo, em que todo Sarau deve ocorrer, com 100% de atenção direcionados aos Artistas, Músicos e Poetas, que ocupam o Palco, já pode ser considerado um Calendário importante em Belo Horizonte.

Leia mais...

DESARMAMENTO E MASSACRE DA POPULAÇÃO CIVIL

Por : Percival Puggina

          O mundo do crime declarou guerra ao mundo do trabalho. Nós produzimos e eles tomam nosso ganho - o dinheiro do bolso, o automóvel, a carga do caminhão, o gado no pasto. Guerra na cidade e no campo.  Guerra sem dia ou hora de armistício. Não se trava contra o Estado de Direito, que bandido não é doido. Em muitos casos, formam um estado dito paralelo, mas não andam por aí atirando contra quartéis, porque sabem que lá dentro há bala e, de lá, vem bala. Não, eles querem o trabalhador da parada de ônibus, descendo do carro, entrando em casa, saindo do banco. E, não raro, tomam-lhe a vida.

Leia mais...

INCONFIDENTE MINEIRO : “CERIMONIAL & HOTEL" REGISTRAM DOMÍNIO E GANHAM VISIBILIDADE...”

 

 

 

Por : Pettersen Filho

Nome, e proposta, que transcendem o comum, já de cara demonstrando ao que vieram, o Cerimonial & Hotel Inconfidente Mineiro, assentados bem no meio das montanhas de Minas Gerais, mais precisamente, em Belo Horizonte, entre a Serra do Curral e a Planície da Pampulha, acabam de registrar seu Domínio na internet, inconfidentemineiro.com.br, com o que passam a ter exclusividade no uso do nome, e por que não dizer, “Marca”, na Blogsfera, impedindo que outros se apropriem da ideia.

Leia mais...

A TURQUIA CONSEGUE MAGISTRALMENTE MOBILIZAR O NACIONALISMO TURCO E NÃO TURCO

Por : António Justo

 Ministros da propaganda da omnipotência presidencial na Turquia - os novos “mártires”? Os Factos:

Dia 11.03 o governo holandês não permitiu a aterragem do avião do MNE turco, Cavusoglu, que vinha fazer propaganda no consulado de Roterdão; no mesmo dia a ministra da família Syan Kaya entra na Holanda vinda da Alemanha de carro e é circundada de polícias e solicitada a sair do país. (A Holanda sob pressão política com eleições legislativas na quarta-feira quer dar um sinal de quem é senhor na própria casa, o que leva o governo a agir precipitadamente).

Leia mais...

RESISTIR É PRECISO, RESISTA BRASIL, RESISTA!

 

Por : Profa. Guilhermina Coimbra.

O que se observa em termos de descalabro, balbúrdia, situação confusa, “disses-me-disses” de uns imputando aos demais, o que de pior governantes poderiam fazer na administração de um Estado continental como o Brasil, não passa de cortina de fumaça para embaçar e disfarçar a conseqüência da luta pelo controle das riquezas – hidrocarbonetos/petróleo, gás, minérios nucleares/urânio, nióbio, tório, lítio e outros - do solo e subsolo do Brasil.

Leia mais...

ESTÁ TUDO ERRADO E JÁ QUEBROU. MAS NÃO MEXE!

Por : Percival Puggina

          Difícil entender a conduta de muitos brasileiros. A parcela mais significativa do eleitorado é, historicamente, sensível às mais demagógicas promessas populistas. A biografia de muitos que entraram para nossa história como líderes benquistos e o catálogo de suas principais realizações não resiste ao crivo da relação benefício-custo e ao escrutínio de suas consequências. O Brasil anda devagar e o futuro é um horizonte que se afasta. De Getúlio para cá, incluindo o próprio, o populismo nos presenteou pela urna Juscelino, Jânio, Collor, Lula e Dilma. Não era outro o ânimo dos vices Jango e Sarney. Escaparam-se, em tempos recentes, o saudoso Itamar Franco e FHC em sua primeira eleição como cavalo do comissário de um governo bem sucedido. Já não se diga o mesmo dele em 1998, pois a reeleição enviou às favas os critérios do primeiro mandato.

Leia mais...